.

Diabetes Tipo I

|
O diabetes tipo 1 afeta cerca de 5% de todos os diabéticos. É conhecido também como diabetes juvenil ou diabetes insulino-dependente, pois o índice de diagnósticos do diabetes tipo 1 em crianças entre 10 e 14 anos é maior. Entretanto, pessoas de qualquer faixa etária podem desenvolver o diabetes tipo 1. Também é conhecido como diabetes insulino-dependente, porque a medicação oral é ineficaz para tratar os níveis elevados de glicose no sangue; são necessárias injeções de insulina para controlar a glicemia nesses indivíduos. Como será explicado a seguir, um número reduzido de pessoas que se encontram nos estágios iniciais de diabetes tipo 1 podem não necessitar de insulina imediatamente, embora eventualmente isso ocorrerá.

O que é diabetes tipo 1?

            O diabetes tipo 1 é uma doença na qual os leucócitos se tornam "confusos". Normalmente, os leucócitos são responsáveis por detectar corpos estranhos no sangue e combatê-los com anticorpos. No diabetes tipo 1, os leucócitos agem como se as células beta do pâncreas fossem corpos estranhos. Resultando em uma inflamação e por isso os anticorpos atacam as células beta. A destruição de células beta pode ocorrer de forma bem rápida, ou lenta durante um longo período. Quando uma quantidade suficiente de células beta tiver sido destruída, ocorrerá falta de insulina e os níveis de glicemia tenderão a se elevar.
Se você tiver diabetes tipo 1, provavelmente precisará utilizar insulina para controlar seus níveis de glicemia. Ocasionalmente, nos estágios precoces do diabetes tipo 1, o indivíduo poderá ainda ter algumas ilhotas de Langerhans, que secretam uma quantidade de insulina suficiente, tornando desnecessária a insulina injetável. A medicação oral ou as alterações na dieta, nas atividades físicas e no estilo de vida podem ser suficientes para controlar a glicemia. Assim mesmo, em virtude da presença do diabetes tipo 1, os leucócitos continuarão a atacar as ilhotas de langerhans, e as células beta remanescentes acabarão sendo destruídas. Portanto, com o passar do tempo, as injeções de insulina tornar-se-ão necessárias.
O sistema Hiperdia do Ministério da Saúde cadastrou entre 1999 e 2004 154.994 diabéticos tipo 1, com 31,4% de mulheres e 68,6% de homens. Esses dados provavelmente subestimam o número real de diabéticos tipo 1 no Brasil. Estudo realizado em Passo Fundo (RS) e publicado em 1998 estimou em 12/100.000 habitantes, muito próxima da encontrada em outros países.

Por ser insulino- dependente, meço diariamente a glicemia e aplico-me de três a quatro vezes ao dia insulina.

Texto extraído de :http://saude.hsw.uol.com.br/diabetes-tipo-1.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário