.

Minha Retinografia

|
Ufaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!

Graças a Deus!!!

Hoje fiz a retinografia + Mapeamento da retina, pois estava enxergando embaçado (só no olho direito). Dra. Renata disse que está tudo na mais perfeita ordem. Não soube dizer o por que de eu estar enxergando embaçado, na altura do campeonato também não quero saber , já que está tudo bem, tô mega feliz com a notícia ...

Acredito que foi a respostas de nossas orações... Obrigada Deus!

Nós diabéticos ,devemos  fazer este exame uma vez por ano, pois os vasinhos dos olhos são muito fininhos, assim como os dos rins, e o excesso de açúcar no sangue (por conta do diabetes) pode atrapalhar o percurso do sangue nas veias, ocasionando progressivamente  retinopatia (doença na retina- camada interna do olho), ou, nefropatia (doença renal).

Segundo a Dra. Zélia Corrêa  (http://www.diabetenet.com.br/conteudocompleto.asp?idconteudo=1581), a retinopatia diabética é a principal causa de cegueira em americanos com idade entre 20 e 74 anos, sendo responsável por 12% de todos os casos de novos cegos à cada ano. A prevalência da retinopatia diabética apresenta uma variação muito grande, variando de 18% a 40%, dependendo basicamente da população em estudo. Calcula-se que 1 a 3% da população mundial esteja acometida pela doença. Aproximadamente 85% dos casos se manifestam após os 40 anos de idade, sendo apenas 5% abaixo dos 20 anos. No Brasil, as estatísticas são insuficientes. Trabalhos publicados no VII Congresso Brasileiro de Oftalmologia e Prevenção da Cegueira mostraram uma prevalência de olhos cegos variando de 1,42 a 9,77% devido a retinopatia diabética.

As alterações do fundo de olho do paciente diabético seguem um curso progressivo, partindo de retinopatias leves, não proliferativas, cuja manifestação precoce é o desenvolvimento de microaneurismas, muitas vezes sem qualquer sintoma visual até as graves, proliferativas, quando se evidencia a formação de neovasos, hemorragia vítrea e perda visual intensa, na maioria das vezes, irreparável.

Uma importante causa de baixa visual no diabético é o edema macular devido á um espessamento das camadas da retina, acúmulo de líquido e depósitos de gorduras (lipídios) na região da mácula, que é a área mais nobre da visão. Isto pode ocorrer nos casos intermediários quando há um controle muito ruim do diabetes.

As complicações retinianas dependem não apenas do deficiente metabolismo do diabético como também de outros fatores que estão sendo pesquisados e parecem estar relacionados ao desenvolvimento e progressão da retinopatia diabética, alguns mais fortemente associados com a gravidade da retinopatia, outros menos. Não é possível definir quais indivíduos diabéticos apresentarão retinopatia, entretanto, é possível definir fatores de risco para o desenvolvimento da doença como: duração da doença sistêmica, mau controle metabólico, diabete melito insulino dependente, doença renal associada, etc. Alguns estudos sugerem que a velocidade de progresão da retinopatia é menor em indivíduos diabéticos jovens (menores de 13 anos de idade) e que isto se deva às alterações hormonais da puberdade.
Estudos epidemiológicos acerca da incidência, prevalência e progressão da retinopatia diabética são importantes para: 1-estabelecer hipóteses da sua patogênese (mecanismo da doença) e 2-desenvolver estratégias para prevenir esta manifestação da doença e 3-possibilitar o aconselhamento médico adequado, embasado em evidências.

O Diabetes Clinical and Complications Trial (DCCT) avaliou os efeitos do controle rigoroso da glicemia e concluiu, em 1993, que em diabéticos juvenis, o tratamento intensivo com insulina retarda o aparecimento e progressão da retinopatia, nefropatia e neuropatia. Outros estudos demonstraram maior ocorrência de retinopatia proliferativa no diabete mélito insulino-dependente do que no diabete mélito não insulino-dependente.

Outros fatores de risco para maior gravidade de retinopatia diabética são: tempo de doença (vide tabela.1), a necessidade de insulina (chamado: insulino-dependente) e mau controle metabólico da doença (dosagem de glicemia alta). A acuidade visual sofre influência direta da gravidade de retinopatia, sendo prejudicada nos indivíduos com doença mais avançada.

O que fazer?

O melhor tratamento é a prevenção no caso da retinopatia diabética. O controle da glicemia com o endocrinologista é essencial, bem como fazer visitas regulares ao oftalmologista para consultas de óculos e avaliação do fundo de olho:

- Oftalmoscopia binocular indireta com as pupilas dilatadas, à cada 6 meses. Caso o oftalmologista observe alguma alteração, solicitará um exame chamado angiografia fluorescente para avaliar a circulação sangüínea da retina e detectar a presença da retinopatia. Quando já existem sinais de retinopatia, o acompanhamento deve ser feito com maior freqüencia associando a angiografia fluorescente, retinografia e se necessário, outros exames.

Uma vez seja detectada a retinopatia, o acompanhamento deve ser feito também com um oftalmologista que tenha conhecimento específico das doenças da Retina e Vítreo e tratamento com laser.

O tratamento da retinopatia é a fotocoagulação com laser nas fases moderadas e avançadas iniciais. Os casos mais graves, quando há hemorragia vítrea e descolamento de retina, podem necessitar intervenção cirúrgica com “vitrectomia via pars plana”, retinopexia, com ou sem uso de laser durante o ato operatório. Além disto, em alguns casos precisam ser usadas substâncias especiais para tamponar o interior do olho e evitar hemorragias intraoculares imediatamente após a cirurgia.


2 comentários:

  1. eu sou irani meu esposo esta com um problema em um olho esquedo ele fala que a visao esta ambaraçando foi em um medico ele falou que era extresse entao resolvermos ir a procura de outras solusoes,pois nao nos comvenceu, elevai agora para outra clinica dia tres para fazer um exame retinografia colorida estamos afritos,pois nao sabemos do se trata e meu esposo e muito nervoso porque o trabalho dele e de motorista e nao e registrado o que podemos fazer.

    ResponderExcluir
  2. Há vários motivos que podem deixar a visão embaçada. O diabetes (que é o meu caso) pode ser um. O ideal é ele fazer a retinografia e ver o resultado, que sai na hora. Tudo em relação á nossa saude qdo cuidamos vai bem. De repente pode-se ir ao clínico e pedir um check-up,exame de sangue e outros,para se ter uma visão geral do q está acontecendo com seu esposo. Se for mesmo estresse, ele pode fazer terapia para auxiliar no tratamento. Vamos ter fé, tudo vai dar certo. Nos diga depois sobre o resultado do exame.bj

    ResponderExcluir