.

Carol e Jujuba: Uma história que hoje rende em muita ajuda

|
Era época de natal. Estávamos em uma confraternização com nossos amigos em uma casa de lanches aqui de Maceió. Júlia, com 1 ano e 3 meses, estava sentada no colo do pai, quando a primeira fralda descartável vazou de tanto xixi... Pensei que tinha colocado errado e deixei para lá... Troquei-a e voltamos a nos divertir... 1 hora depois a fralda vazou novamente... Comecei a achar estranho... Coloquei então a culpa na marca da fralda que tinha começado a usar naquela mesma semana, Troquei-a  novamente e fomos para casa... Quando fui dar banho nela a fralda estava cheia... Mas não dei tanta importância... Júlia dormiu logo depois...
Cerca de duas horas depois, já de madrugada, fui vê-la no berço e para minha surpresa, o berço estava ensopado de xixi...

Me tremi toda!!!! Olhei cada pedacinho de minha filha com muita atenção e naquela mesma hora, como numa inspiração divina, coloquei na cabeça que ela tinha Diabetes!!!

Engraçado que nunca fui uma mãe neurótica...  muito pelo contrário... Sempre fui voadora e desligada com essas coisas de doença... Mas naquela hora nada me tirava isso da cabeça!!!!

Lembrei  imediatamente do livro -A vida do Bebê – do Rinaldo De Lamare, livro conhecido pelas mães de primeira viagem como a “ bíblia do bebê”... Corri para pegá-lo...

Abri direto em Diabetes Infantil....

Comecei a ler e as lágrimas começaram a cair... Todos os sintomas que estava descritos lá batiam com o que via em minha filha... Urina em excesso (constatado naquele mesmo dia), sede em excesso (Julia acordava de 2 a 3 vezes por noite e tomava o copo cheio de água), Muita fome e emagrecimento (ela comia toda hora, e mesmo assim, não engordava e sim tinha começado a emagrecer), fadiga (ela vivia apática, sem querer brincar) e irritabilidade (ela estava sempre irritada, chorona, sem dormir direito, se remexendo).

Comecei a me desesperar e chorar copiosamente...

Passei então a pesquisar no sabe tudo digital – O Google – Li muita coisa durante a madrugada, e me desesperei ainda mais quando descobri que era uma doença crônica...
Resolvi acordar o Marcos, Meu marido... Contei a ele o que tinha acontecido, e tudo que tinha lido, e como qualquer pessoa normal no lugar dele, ele me mandou acalmar e dormir, pois não devia ser “nada grave”...

Claro que nem acalmei, nem consegui dormir...

Troquei sua fralda mais algumas vezes durante a noite e fiquei do lado dela até dar umas 6hs da manhã, quando Marcos acordou e juntos resolvemos telefonar para minha mãe e pedir ajuda...
Ela por sua vez esperou dar 8hs para poder ligar para nossa endocrinologista e prima – Jamile Paiva – e ver o que faria...

Acho que até então estava todo mundo me achando meio neurótica ou louca... Era um domingo (23 de dezembro de 2007), antevéspera de Natal, a maioria dos médicos em recesso e viajando, nada funcionando direito e eu arrumando “sarna para me coçar” ... Mas estava com ideia fixa...  

Jamile chegou na nossa casa para ver a Julia antes de 9hs...Percebeu logo um grau de desidratação avançado, conversamos, ela fez algumas perguntas, e logo nos convidou para ir até o consultório para fazer  o teste de “ponta de dedo” pois lá ela podia examiná-la melhor e ter alguma conclusão.

Assim fizemos....

Início de janeiro de 2008 - se acostumando com a situação
Há essa hora, a família já estava toda reunida na nossa casa... Fomos todos juntos, Júlia, Eu, Marcos, Nossos pais, irmãos e sobrinhos... Todos já preocupados...

 Ela abriu o consultório, nos acalmou um pouco, conversou, e começou a nos explicar o que era diabetes...

Ela pegou o Glicosímetro, e seguramos a Julia enquanto ela fazia o teste glicêmico...

Acho que foram os 5 segundos mais longos de nossas vidas...

O resultado deu HI, ou seja, tão alto que o aparelho (que mede até 800) não conseguiu medir...

Jamile nos disse: Com essa glicemia e com o quadro clínico de Júlia, não precisa nem de exame laboratorial, o diagnóstico está dado – é diabetes tipo 1.

2 dia depois da descoberta
Ali meu mundo Caiu!!!!!  Foi um chororô geral!!!! Chorei, chorei, chorei, mas em questão de minutos tive que respirar fundo, erguer a cabeça, e “seguir em frente”... Júlia precisava de mim e de meus cuidados... Precisava aprender a cuidar de minha filha...

Jamile foi começando a dar as primeiras informações necessárias para o tratamento. Nos deu um Glicosímetro que ela tinha, receitou a insulina e a caneta, nos indicou onde podíamos ir num domingo comprar, ou seja, nos iniciou no mundo da Diabetes... Ela foi de uma atenção, carinho e cuidado espetacular conosco...

Fomos então para a farmácia especializada, onde uma enfermeira nos explicou como aplicava a insulina. Engraçado que nem deixamos ela aplicar, nós que fizemos isso desde a primeira vez....

Natal de 2007
E assim foi o primeiro dia.... O dia da descoberta......... O grande marco de nossas vidas!!!“divisor de águas”...


Aquele natal foi triste e revoltante, mas hoje dou graças a Deus por aquela “inspiração”... Se não fosse ela, talvez só descobríssemos a Diabetes de de Júlia num hospital, com ela em coma ou cetoacidose diabética...
Nesses quase  3 anos que se passaram , acho que amadureci uns 10!!!!!

E nossa vida seguiu... Sem traumas e com muito amor e alegria para suportar os momentos mais difíceis...

Nenhum comentário:

Postar um comentário