.

Como se manter saudável durante a gravidez sendo diabética

|
Uma gravidez em mulheres diabéticas é algo que requer muito planejamento, cuidados extras, muita disciplina e um acompanhamento rigoroso por parte de uma equipe multidisciplinar composta por médicos (endocrinologista e obstetra), nutricionista, farmacêutico e enfermeiro. O acompanhamento com o endocrinologista deve ser feito semanalmente, ou pelo menos quinzenalmente para se fazer os devidos ajustes na dosagem de insulina.

Alguns aspectos se assemelham no tratamento do diabetes para as gestantes diabéticas do tipo 1 e 2:

- Com qualquer um dos tipos de diabetes (tanto o tipo 1 como o tipo 2), uma mulher que deseja engravidar somente poderá fazê-lo quando seu controle glicêmico estiver rigorosamente em dia, sendo que sua Hemoglobina Glicada (ou glicosilada) deve estar abaixo dos 6,1%, ou até 1% acima do valor máximo recomendado pelo laboratório onde o teste for realizado.

- Caso a gestante seja diabética do tipo 2 e faça uso de Hipoglicemiantes Orais, eles devem ser substituídos por insulina (hormônio utilizado no controle do diabetes tipo 1), uma vez que não se tem ainda muitos estudos que realmente comprovem se estes medicamentos podem ou não afetar o desenvolvimento fetal. 

Por isso, algumas entidades representativas do diabetes em nível mundial ainda não chegaram a um consenso sobre a utilização destes medicamentos durante a gestação. Para quem já faz uso de insulina, as dosagens devem ser reajustadas com uma certa freqüência, de acordo com as necessidades da gestante.

Vale lembrar também que o risco de hipoglicemiasaumenta muito durante a gestação, já que o feto se alimenta através do cordão umbilical de tudo aquilo que a mãe consumir. Uma hipoglicemia na mãe diabética pode acarretar em hipóxia (diminuição da oxigenação) cerebral no feto, já que o cérebro se alimenta basicamente de glicose, e como todo feto de mãe diabética recebe constantemente uma carga maior de glicose sanguínea, a sua produção de insulina é exacerbada. 

Logo, se a mãe tem uma hipoglicemia de repente, a insulina que o feto produz continuará a fazer efeito, podendo desta forma, o feto também entrar em hipoglicemia e devido a isso diminuir a sua oxigenação cerebral, podendo desenvolver alguma seqüela. 

Portanto, o monitoramento da glicemia deve ser redobrado, e não se deve falhar em hipótese nenhuma as refeições e lanches. Deve-se dar uma atenção muito especial à alimentação, sendo que a dieta da gestante diabética deve ter o acompanhamento de um nutricionista especializado em diabetes, para assim evitar que o bebê cresça exageradamente e aumente muito o peso, comprimindo as artérias e vasos sanguíneos da mãe.

Deve-se também monitorar o peso corporal e a pressão sanguínea, evitando-se, desta forma, o risco do desenvolvimento de pré-eclâmpsia, uma síndrome grave, marcada pela elevação da pressão arterial e pela perda de proteínas pela urina, que pode acontecer a qualquer momento da segunda metade da gravidez, ou seja, a partir de 20 semanas, mas é mais comum a partir de 27 semanas, sendo causada por deficiências na circulação sanguínea da placenta, órgão que nutre o bebê dentro do útero.  Portanto, como o diabetes é um fator de risco para a pré-eclâmpsia, deve-se estar atenta aos seguintes sintomas:
  • inchaço repentino no rosto, nas mãos ou nos pés
  • dor de cabeça persistente
  • perturbações na visão, como vista embaçada ou luzes piscando
  • dor forte na barriga, abaixo das costelas
  • mal-estar geral
Caso você seja gestante e apresente algum desses sintomas, procure um médico e peça para ter sua pressão medida, pois ela pode aumentar de repente!

Com um bom monitoramento e todos os cuidados redobrados, é possível sim ter uma gestação saudável mesmo tendo diabetes! Por isso devemos confiar e planejar tudo muito bem antes com os profissionais da saúde que nos acompanham, seguindo rigorosamente as suas recomendações, para que nenhum contratempo estrague este momento tão único na vida de uma mulher que é a gestação, e para que o bebê nasça forte, lindo e saudável!



Nenhum comentário:

Postar um comentário