.

Cristiane mais que um exemplo que diabética pode ser mãe

|
Oi,meu nome é Cristiane,sou diabética tipo 1 há quase 21 anos!Sou casada e tenho três filhas.

Quando fui diagnósticada com diabetes em 1991,na época eu estava com 10 anos,aceitei tudo mais facilmente,me adaptei com a rotina de ter que tomar insulina todos os dias,cortar o açúcar de vez da minha vida,o que me deixava triste era não poder ir a festinhas de aniversário de meus colegas.

Foram passando os anos,o negócio "pegou" quando entrei na adolescência,eu não queria me sentir "diferente" das minhas amigas e colegas de escola,então comecei a esconder minha condição de diabética,eu detestava ouvir aqueles comentários,tipo,"Você ficou diabética porque comia muito doce?"ou "Tadinha!Tão novinha!"ou "Que conheço fulano ficou cego,amputou as pernas...",ouvia tanta besteira,que eu achei mais confortável não falar.Quando me ofereciam as coisas tipo uma bala ou chiclete,eu aceitava mas não comia,quase nunca saia,quando precisava sair eu tentava ser discreta,se tivesse refrigerante diet eu tomava,se não, falava que não queria e o legal que o pessoal da minha idade não questionava,outra coisa ,eu não bebia bebida alcóolica não gosto e nunca gostei e também não fumava e nem fumo,no meu "grupo"de amigos quase todos fumavam e bebiam,nisso por eu ser a única "certinha",palavras deles mesmo,eu me afastei e fui e ainda sou bem caseira,era só estudar e pronto.

Os anos foram passando,cometi meus deslizes,já comi doces só para ver se passava mal,vivia com raiva pois me sentia a pior pessoa do mundo,nunca tive apoio de meus pais,"a diabetes era minha eu que tinha que cuidar!"palavras deles mesmo!Quantas vezes tive que ferver seringas mesmo sendo decartáveis pois minha mãe não tinha dinheiro para comprar e meu pai não dava a mínima...não sei como cheguei aqui hoje,nunca pude seguir minha dieta 100%,pois sempre passamos aperto financeiro!Meu sonho era poder comprar um glicosímetro,mas só pude comprar um em 2005,o difícil era comprar as fitinhas que eram e ainda são muito caras!Eu sempre me achava um peso,achava que eu nunca iria para frente,entrei numa depressão tão profunda,isso já no ano 2000,chorava e chorava,achava que eu iria morrer,que as complicações tinham me "pegado",mas só foi coisa da minha cabeça,minha saúde estava boa,tirando as altas taxas glicêmicas que me perseguiram até ano passado.Nunca consegui controlar minha diabetes!Os médicos diziam que minha diabetes era de difícil controle aumentavam a dose da NPH,me pediam para praticar exercício físico e tomar cuidado com a alimentação.

E meu sonho era casar,ter filhos,não sei quantas vezes sonhei com isso,mas sempre ouvi: "Mas quem vai querer ficar com você?Ninguém vai aguentar ficar com uma mulher diabética!"ou "Mulher com diabetes não pode ter filhos!" e várias outras besteiras!!!
No ano de 2001,conheci meu marido,namoramos,minha família,amou ele,mas a família dele ao saber que era diabética fizeram de tudo para nos separar!Diziam que eu daria trabalho,que ele nunca seria feliz comigo,ele não iria poder ser pai...mas não adiantou,no ano de 2004,mesmo sem a família dele "aceitar" nos casamos e logo vieram os filhos.Minha primeira gravidez foi um sonho,eu que também achava não poder ter filhos,engravidei e mesmo com o resultado do exame em mãos,não acreditava estar mesmo grávida!A ficha só caiu,quando fiz meu primeiro ultrassom!Era um menino!Escolhi o nome dele: Gabriel,nome de anjo...a gravidez foi toda tranquila,entre muitas internações por causa de uma forte infecção urinária,com sete meses e meio de gestação perdi meu bebê,mas não foi por causa da diabetes e sim por erro médico!Cheguei no hospital sentindo fortes contrações,a médica que me atendeu me examinou e examinou o bebê e falou que iria me por no soro para parar as contrações e tentar segurar a gestação, pois segundo ela ainda estava muito cedo para o bebê nascer!O pior foi que a médica não prescreveu a insulina,as enfermeiras disseram não poder aplicar sem a prescrição do médico,na época eu ainda tomava só a NPH e a glicemia foi para HI!Por conta da alta taxa glicêmica o bebê não resistiu!Isso foi o próprio médico obstetra que me falou!

Eu entrei em desespero!Só chorava!Quando recebi alta fui orientada a não engravidar antes de 1 ano!Mas eu não obedeci,quando completei 3 meses,parei de tomar o remédio anticoncepcional e engavidei!Mas só descobri bem depois já estava com três meses!A gravidez foi tranquila,dessa vez fiz o pré-natal em Belo Horizonte,lá tinha endocrinologista,nutricionista,obstetra,o hospital era o Odete Valadares,especializado em gestante de alto risco!Fiz o ultrassom e para minha alegria uma menininha!Meu marido escolheu Rita,chamamos de Ritinha!Ela está com 6 anos.A gravidez não foi até o fim porque minhas glicemias estavam bem rebeldes,e a pressão arterial também e era um risco para mim e para Ritinha,quando completei 7 meses e meio,marcaram minha cesárea,ela nasceu,linda,perfeita e saudável!Mas como era prematura teve que ser levada para UTI neonatal,pois nasceu cansadinha,ela ficou 1 mês e meio internada,mas quando teve alta foi só alegria!Quando a Ritinha completou 2 meses de vida,engravidei da minha segunda filha Ana Luiza,hoje com 5 anos,eu demorei um pouco para descobrir estar grávida porque minha mensruação sempre foi e ainda é muito desregulada e também não imaginei engravidar uma terceira vez tão rápido!Mas a barriga apontou,meu marido que desconfiou,eu não sentia nada,conversei com a médica que me pediu o exame e o resultado foi mais um positivo!E a gravidez foi toda tranquila,só ficava triste,pois eu tinha consultas em Belo Horizonte de 15 em 15 dias até o fim da gestação e sempre tinha que deixar a Ritinha tão bebê e morria de saudades dela!E aconteceu o mesmo,me internaram,por causa das glicemias e pressão arterial descontroladas e quando completei 8 meses de gravidez marcaram minha cesárea,ela nasceu bem,linda,forte,grandinha,mas meia hora depois do nascimento começou a cansar e tiveram que levar para UTI neonatal,ela ficou internada 21 dias!Depois eu em casa com 2 bebês!!!Fiquei tão feliz!De uma certa forma,por desleixo,não me preocupei de poder engravidar de novo e vacilei!Eu notei minha barriga apontando de novo,mas não acreditei ser possivel eu estar grávida uma quarta vez e deixei para lá!Mas eu comecei a ganhar peso e a barriga apontando,até quando senti o primeiro chute!E pensei:"Será que estou grávida de novo???"Fiz o exame para tirar a dúvida e deu positivo!Eu ainda duvidei!Pensei,deve ser engano,engordei porque tive três gravidez seguidas e o "chute" deviam ser gazes!kkkkkk!Me enganei feio!!!Eu chorei,neguei e simplesmente não quis fizer o pré natal!Mas com o avanço da gravidez eu comecei a passar muito mal e fui forçada a ir no médico,o pré-natal começou quando eu estava já com 5 meses,descobriram que eu estava com uma anemia profunda devida as quatro gravidez seguidas,sentia muita azia e não conseguia comer e tive uma forte diarreia por conta dos 4 comprimidos diários de sulfato ferroso que a minha médica me receitou.Por incrível que pareça, tirando isso eu estava bem,os exames estavam todos bons,na ultrassom o bebê estava perfeito e foi mais uma menina escolhi Danielle,hoje com 4 anos,a pressão e a glicemia estavam perfeitas e minha obstetra quis levar minha gravidez até o nono mês.Mas quando completei exatos 8 meses acordei no meio da noite sentindo ma forte azia,dores e fui ao banheiro e a bolsa estourou!Eu ainda pensei ser xixi rs,mas foi a bolsa mesmo!Acordei meu marido que me levou para o hospital,a médica que me examinou foi logo falando que eu estava tendo contrações mas não seria possível segurar!Me colocou no soro e foi aquela correria para conseguir um hospital com vaga de UTI neonatal , pois Danielle era prematura!Depois de horas sentindo dores o dia amanheceu e acharam o hospital com a vaga em Belo Horizonte! Fui levada as pressas e quase ganhei a Danielle pelo caminho dentro da ambulância,chegando no hospital,tudo na correria,fizeram minha cesárea!A Danielle nasceu bem,chorou forte e para minha surpresa ela não precisou ir para UTI e desceu para o quarto comigo!Depois de 15 dias eu e ela tivemos alta!

Cris, seu esposo Ednei e suas filhas, da esquerda para direita Rita, no meio Ana Luísa e a branquinha é a Danielle.


Depois fiquei esperta rs,com 2 meses pós parto tomei aquela injeção para não engravidar(Depo-Provera) tomava de três em três meses,o ruim dela é que engordei e muito!Um ano depois do nascimento da Danielle,meu marido fez a vasectomia,segundo o médico corria perigo de eu engravidar de novo!

Meu marido me ajuda e muito com elas!Ele é um ótimo pai,ótimo marido!Sou feliz!

E imaginar que ouvi minha vida interia que eu não poderia ter filhos!!!

Mas o cuidado com a diabetes ficou meio de lado,não podia ir as consultas,fiquei por conta das minhas meninas!Ano passado retomei com meu tratamento e agora estou tendo resultados satisfatórios!Quero ter muita saúde para poder cuidar de minha pequena grande família!


Diabéticas e felizes estas mulheres são um exemplo: As três garotas da frente são as filhas da Cris; da direita para esquerda Cris,Carol Freitas (diabética há mais de 30 anos) e a mãe da Carol com a Bella no colo filha da Carol. Exemplos de que o diabetes não pára a vida de ninguém.
http://cristianediabeticaemae.blogspot.com.br/

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi Dani!Obrigada!Também admiro e muito vc!Bjs

      Excluir
  2. Oi Kath!Amei a postagem!é isso mesmo,ter diabetes não impede de ser mãe,no meu caso mãe de três rsrs,basta se cuidar,tendo um bom controle,antes,durante e depois da gravidez!Beijos!!!

    ResponderExcluir