.

BH tem primeiro mestrado de educação em diabetes

|



Entrevista com a endocrinologista Janice Sepúlveda Reis, da Santa Casa de BH
Educar pessoas com diabetes é um assunto tratado com cada vez mais importância e seriedade. Prova disso é o reconhecimento do primeiro mestrado em educação em diabetes pela Capes - Coordenação de Aperfeiçoamento Pessoal de Nível Superior, órgão do governo voltado para a expansão da pós-graduação. O curso está sendo realizado desde março deste ano na Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, conta com 20 alunos graduados na área de saúde e representa uma das pontas de atuação da instituição. A Santa Casa de Belo Horizonte vem, desde 2005, destacando-se no atendimento a pacientes diabéticos, com uma estrutura diferenciada e dividida em diversos segmentos: diabetes tipo 1, diabetes tipo 2, pé diabético, diabetes gestacional e diabetes pós-transplante.
"As equipes de atendimento para cada grupo são diferentes", conta a endocrinologista Janice Sepúlveda Reis, responsável pela clínica de diabetes tipo 1 e pela coordenação do mestrado de educação em diabetes.
A clínica conta com cerca de 500 pacientes e uma equipe formada por endocrinologistas, psicólogos, enfermeiros, nutricionistas e educador físico. O atendimento é feito às quintas-feiras de manhã, período em que o paciente passa por consulta médica, consulta psicológica individual e em grupo, orientação de educação física e palestra educacional. Eles também dispõem de instrumental e medicamentos fornecidos pelo Estado e pela prefeitura: glicosímetro, tiras, insulina basal e insulina ultrarrápida.
"O acompanhamento é feito no intervalo de tempo e pelos especialistas necessários para cada caso", explica Janice. O objetivo é que o diabético receba a orientação em relação aos medicamentos, monitoração da glicemia, alimentação adequada e prática de exercícios físicos. Nesse último item, por exemplo, o educador físico faz a avaliação do paciente e elabora um programa de atividades individuais, seja para execução em academia, escola ou por conta própria.
A clínica da Santa Casa de BH também se ocupa em orientar os professores e a escola frequentada pelos pacientes crianças ou adolescentes. Eles recebem uma carta contendo as definições básicas sobre o diabetes tipo 1, sintomas de hipo e hiperglicemia, necessidade que o aluno tem de portar seus medicamentos e telefones para contato em caso de emergência. Quando necessário, o educador físico realiza palestra nas escolas para explicar temas relacionados a diabetes e atividade física.
Para os pacientes, pais, cuidadores e professores, a instituição criou o site www.espacodiabetes.com.br com informações e possibilidade de download de materiais educativos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário