.

Diabéticos do meu Bairro

|
Hoje foi dia de pegar os insumos no Posto de Saúde. Fitas, lancetas e seringas (que ainda uso quando tomo a Levemir).

Por curiosidade perguntei á moça que me entrega:

- Qual é o diabético mais novo que vocês atendem?

Ela me disse:

-Era você, agora temos uma de 21 anos.

Me lembrei de uma situação, há quase 6 anos atrás quando descobri o diabetes, chorava mensalmente ao ter que buscar aos insumos no Posto, tinha dia e horário específicos para pega,r e lá se reuniam todos os diabéticos da região. Eu cheguei a passar o dia lá aguardando minha senha ser chamada, eu era a mais nova, o restante eram só idosos. Sem entender ainda sobre o diabetes, eu me achava um E.T, a única "novinha" de lá com "doença de velho", e o pessoal de lá também me tratava assim, sempre me diziam:

-Tão novinha! Vai morrer logo e pelo menos eu tô "véia" e curti mais a vida e você...

Quando eu via um senhorzinho que todos os meses fazia questão de vir falar comigo me entristecia, ele só me dizia coisas ruins e sua principal característica era deixar cair a dentadura enquanto falava, por mais que eu o cortasse ele não tinha limites.

Com o tempo, os diabéticos passaram a receber em seus próprios Postos de Saúde (o mais próximo de casa) e a situação amenizou para mim, pelo menos neste sentido.

No meu bairro diabéticos tipo 1 ainda estão raros. Que continue assim! Caso apareçam, estarei aqui para ajudá-los.

Nenhum comentário:

Postar um comentário