.

Marcela: Meu sonho de ser mãe foi realizado!

|
Sou Marcela Ribeiro, 26 anos, diabética desde abril de 2010.

Quando recebi o diagnóstico do diabetes meu mundo caiu, só que em meio á esta “má” notícia recebi um inusitado presente...

Era colega do Roni, um ótimo rapaz, quando lhe contei sobre o diabetes, do meu desespero com o diagnóstico, ele logo se prontificou a me ajudar, me auxiliou muito psicologicamente e financeiramente com os gastos que tive com insulinas e insumos necessários para manter um bom controle glicêmico. Logo após minha alta (tive que ficar internada), começamos a namorar, recebi dele todo o apoio necessário, custeou parte dos gastos com a doença e nunca me cobrou ou quer receber por isso... Morre de pena de mim por me ver tomando insulina.

Com o diabetes minha dieta mudou, antes amava chocolates era uma chocólatra hoje tenho nojo de doces, nada disso graças á Deus enche meus olhos... Controlo muito minha alimentação, sou regrada até demais, não como qualquer coisa fora de casa, prefiro me privar embora pareça radical á vezes. Tenho muito medo do amanhã, de como meu corpo pode estar com anos de diabetes mal controlado, por isso controlo o quanto posso... Penso hoje assim, por que no começo do diagnóstico era bem diferente...


Comecei meu tratamento com NPH e Regular, e assim seguiu- se os meses, com os picos do diabetes, hemoglobina glicada alta e em contrapartida um ótimo relacionamento com o Roni.

Meu maior sonho sempre foi ser mãe, só que sempre tive dificuldades em manter o diabetes nas taxas adequadas pra isso. Sendo assim, minha endocrino não me aconselhava engravidar, mais fez uma mudança em meu tratamento para ver se me ajudava, mudou minhas insulinas para lantus e humalog...


Glicose começou a controlar com lantus e humalog, só que a glicada nunca abaixava, pois nunca seguia a dieta certinho, mesmo nunca tomando métodos contraceptivos nunca engravidava, era o mal controle glicêmico. Desisti de ser mãe, mesmo isso me doendo muito, infelizmente com tudo isso que me aconteceu, tive dificuldades de administrar esta avalanche de fatos, entramos em crise no nosso relacionamento e desmanchamos o namoro...

Fiquei mal pra caramba, nos amávamos demais, mais pelo visto não tinha mais volta. Para acabar de completar, fui ao ginecologista, o mesmo me disse que eu só poderia engravidar quando regularizasse meu ciclo menstrual (que não era organizado) e quando o diabetes estivesse em ordem, pois corria sérios riscos na gestação, principalmente de má formação do feto.


Separados, em junho Roni me chamou pra conversar e ver se podíamos voltar, ele veio até minha casa, e pediu pra voltar, abriu seu coração, eu não podia negar, eu ainda o amava e sentia sua falta. Reatamos e viajamos muito para comemorar nossa volta. Minha ultima menstruação foi dia 15 de julho, e as glicemias como sempre, 345 mg/dl... 432mg/dl

Voltei ao meu endocrino para ajustar as doses de insulina, fui ao ginecologista em consulta de praxe, ele notou coisas estranhas em mim, mais não se pronunciou. Logo, apareceu um caroçinho na minha barriga, desconfiei, e fui ao meu cardiologista, este me disse que não sabia o que era, fez uma guia para ultrassom. Já minha nutróloga afirmou que era gordura acumulada devido tomar insulina num local só.

21 de agosto, e nada de eu menstruar, pelas duvidas resolvi fazer um Beta HCG, foi confirmado: ESTAVA GRÁVIDA!

Boa notícia, mais junto com ela o desespero, pela glicemia estar péssima. Logo fui ao endócrino e ginecologista, e quando fiz o check-up nos exames, parecia mentira: Glicada 6,0%.

Que felicidade! Comecei a me cuidar mais do que nunca.

Comecei ter hipos de madrugada, fiquei preocupada, mas os médicos disseram que é normal tudo no meu corpo estava se modificando, só precisava ficar atentada á isso.

A alimentação passou a ser de 3 em 3 horas, comecei a ter todos os outros cuidados extras necessários.

Até o 3º mês tive sangramento, muitos enjôos e no logo no começo glicemia 234 mg/dl... 343 mg/dl, mas agora não passa de 186 mg/dl. Está bem controlada!
Estive internada pra fazer perfil glicêmico uma semana, pois estava com muitas oscilações glicêmicas, hipos á hipers rapidamente.

Ocorreu, de eu ter uma hipoglicemia noturna de 30mg/dL que foi bem terrorista, porém não cheguei a perder a consciência. Os sintomas da hipoglicemia mudaram também, tinha irritação, sonolência, sudorese e enjôos. Isso foi uma novidade nada agradável para mim.

O meu líquido amniótico ficou aumentado durante quase toda a gravidez, estou com 24 de líquido, o certo seria 18, por isso foi constatado que eu tinha Polidrâmnio.... Segundo os médicos, isso pode acontecer com grávidas diabéticas, por conta do aumento da glicemia da mãe (mesmo eu tendo um super controle e hemoglobina glicada abaixo do 6,5). Graças a deus consegui chegar a 6,5%!  Fiz ecocardiograma fetal e meu filhote está perfeito! Glória á Deus por isso!



Pedi muito á Deus que nada de ruim acontecesse com o Pedro, ele esta perfeitinho, já fiz morfológica e tudo OK! Meu filho está ótimo e tenho muito que agradecer á Deus! Hoje só é curtição, estou de 6 meses, e amando minha barriga.

A cada 15 dias vou ao endócrino e ginecologista para o controle da gestação, que devido ao diabetes é considerada de alto risco.

Agora só me resta a ansiedade de tê-lo em meus braços...

Depoimento dado por Marcela Ribeiro
Texto redigido por Kath Paloma

Um comentário:

  1. lindo depoimento...agora estou a espera da minha bencao em outubro chega mais outra bencao...felicidades a todas

    ResponderExcluir