.

Percentil do Feto. Já ouvi falar? E na gestação de Dms?

|

Dia 01/04, mais uma consulta com a obstetra, meu peso está bacana (espero que não engorde tanto), até agora não engordei nem 2 quilos, dia 22/04 terei outra consulta, daí veremos quantos ganhei.

Ecocardiograma fetal com doppler agendado para o dia 07/05, quando estarei com 27 para 28 semanas, fazer este exame é muito importante pois ele mostra possível cardiopatias fetais que ocasionalmente filhos de diabéticas podem ter. Segundo minha obstetra entre 25 á 28 semanas pode-se fazer este exame, sendo o ideal 28 semanas.

Mudei de medicamento (vitamina do bebê), parei de usar Damater e fui pro ácido fólico (1x por dia) e sulfato ferroso (2x por dia). A mudança ocorreu por questões de gastos mesmo, estava difícil achar a Damater e o preço não era caro e nem barato, como me adaptei aos dois medicamentos do Posto de Saúde e o resultado é o mesmo, melhor, não gastarei com isso.

A constipação intestinal está melhorando, a Simeticona tem me ajudado neste processo, os gases me davam sérias cólicas. Quando necessário uso supositório de glicerina e logo vou ao banheiro.

Agora neste segundo trimestre de gestação, comecei a ter bastante hipers, no primeiro era hipos, por questões hormonais e até mesmo pelos constantes enjoos e vômitos...As coisas mudaram.

Estamos mexendo na basal e bolus da bomba para vermos melhoras, coloquei o sensor da Medtronic para me indicar hipos ou hipers.

Confesso que o controle sobre minha alimentação está ainda mais acirrado, logo que meu corpo está agindo “meio fora do controle”, ou seja, fora dos padrões. Nós diabéticos já não temos tanta estabilidade glicêmica, numa gestação as flutuações são mais evidentes.

Como digo sempre observo a ação de cada alimento sobre minhas glicemias para ver até onde posso ir com os mesmos. Doces evito, mais se tenho vontade conto CHO e como.

Quando apresentei meus exames para a obstetra ela ficou feliz por outro lado uma coisa a preocupou o percentil do Davi.

Mais o que é percentil?

Este é um parâmetro que permite-nos ter uma ideia sobre o peso e crescimento do bebê relacionando com sua idade gestacional.

O do Davi acusou 76, a estimativa é de 50 á 90, quanto maior for dando mais tendência a macrossomia ele terá, a partir de 90 o bebê poderá ser considerado macrossomico, ou seja, ele ainda não está mais está a caminho de. Por isso minha obstetra fez uma cartinha para endócrino dizendo que temos em torno de 4 semanas para cuidar destas hipers para que elas não continuem proporcionando o crescimento desenfreado do Davi. Meu peso esta bacana, mais a hipers estão fazendo com que o bebê cresça, e olha que não cheguei nem a 300mg/dl.

Ela deixou claro que não devo me culpar e sim me policiar, fazer caminhada assiduamente e até mesmo hidroginástica, neste segundo trimestre isso é comum de acontecer pois a fome aumenta (consumimos um pouco a mais de alimentos) e os hormônios da placenta são diabetogênicos,eles fazem com que a glicemia mexam com os hormônios e o corpo vai ficando numa loucura que tende á hiper.

Ela finalizou a explicação dizendo-me que a mãe sofre uma série de modificações metabólicas e vasculares para adaptar-se à gestação, inclusive ocorrendo a liberação de hormônios que causam o aumento da glicemia materna e consequetemente um aporte maior de glicose para o feto.

Em pesquisas li que “a glicose é um açúcar e no feto esta glicose irá promover o ganho de peso e aumentará a secreção de insulina pelo pâncreas fetal. No feto, diferentemente do adulto, a insulina é um hormônio cuja atuação provoca o crescimento e ganho de peso. E assim, o feto da mãe diabética tem geralmente um peso acima do encontrado nos fetos das mães não diabéticas.
Deve-se ter em mente que os filhos das mães diabéticas apresentam um importante crescimento do tronco e das vísceras abdominais, enquanto que a taxa de crescimento da cabeça e do cérebro permanecem próximas ao normal.
Este aumento de crescimento geralmente só é observado após a 28 semana de gestação. Isto acontece porque o hormônio lactogenio placentário, responsável pela característica diabetogênica da gravidez, começa a ser secretado em grande quantidade após a 25 semana de gestação.”
Diante destas informações, estou me monitorando mais, quanto á alimentação permanece a mesma já que não estou na base dos exageros.
Fica a dica aí para grávidas e futuras mamães DMs, não vamos surtar com as hipers, nem enlouquecer médicos, amigos e maridos, pois esta é uma responsabilidade nossa também. 
Nosso papel não é de nos culparmos mais sim de observar e dialogar com o obstetra sobre o assunto e se cuidar.
Dia 22/04 mais uma consulta. Daí postarei mais novidades.
No restante estamos bem.



3 comentários:

  1. Kath, muito bom seu post... bem explicado... seu blog esta me ajudando muito a querer ter filhos, depois que descobri diabética sempre quis adotar uma criança, mas hj vejo que posso sim ter um baby... boa sorte!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde. Sei que deve receber montes de dicas e receitas milagrosas, muitas oriundas de espertahões querendo ganhar um troco, outras, acredito que a maioria, de pessoas querendo realmente ajudar. Eu me enquadro neste segundo grupo. E não tenho nenhuma fórmula mágica, receita milagrosa, nem truque secreto. Eu só tenho conhecimento e vivência de uma terapia médica muito antiga, que é usada no mundo todo, copiada em vários tratamentos atuais como PRP, Tampão Sanguínepo Peridurla,, SELPHYL, fatores de crescimento plaquetário e outros. O que me moveu a comentar com vc sobre este tratamento é o meu testemunho dos benefícios deste tratamento em 2 casos: Fisioterapeuta que tratou do meu filho domiciliarmente em 2007, por causa de um atropelamento, voltou a nos atender por causa de uma lesão no pescoço de minha esposa provocado por exercício de academia mal orientado. Depois de algumas sessões, ele, chorando disse que não poderia continuar, estava ficando CEGO! Eu, chocado, perguntei e ele informou que era consequência de sau diabete que, mesmo tratada e controlada com remédios, danificava sua visão. Ocorre que mesmo depois das periódicas intervenções cirurgicas de sua oftalmologista, sua visão declinou e ele estava ficando cego. Fui em sua residência -ele não podia mais dirigir, e entreguei a ele um livreto e um dvd sobre a auto-hemoterapia e passei o nome e endereço do cirurgião oftalmologista que salvou a visão de um parente, injetando sangue autólogo dentro do seu olho lesionado, Dr Ricardo Reis. Eu e familiares nos operamos co ele por problemas diversos. Depois de muito pesquisar, ele começou a fazer uso da terapia e irá em breve se operar com este grande médico. 5 Semanas depois de nosso último encontro, liguei para ele e para minha surpresa, ele disse-me que me retornaria logo porque estava DIRIGINDO!!! Ele voltou a enxergar com somente 5 ou 6 aplicações como ele relatou!!! Acredito, e os médicos explicam, que como a auto-hemoterapia "afina" o sangue e revasculariza artérias e veias, seu nervo ótico voltou a ser alimentado e oxigenado adequadamente.
    Outro colega, este de trabalho, ao perceber que os remédios para as dores causadas pela avançada diabete tipo II, já não sabia o que fazer para amainar seu sofrimento. Passei a ele um dvd e um livreto sobre a AH. Descrente, não se interessou. Um ano depois familiares a muitocusto convenceram-no a procurar acupunturista. Esta ao ver seu quador, orientou a usar a auto-hemoterapia. Hoje, quase 4 anos depois, usa o tratamento, e me realtou: seu sangue está fluindo adequadamente, as taxas sanguíneas estão ideais, as dores estão quase ausentes, não está precisando de remédios e, segundo ele, a maior conquista foi voltar a sentir as solas dos pés!
    Por tudo isso e por saber ser segura para crianças (meu filho de 16 anos usa há 4 anos e meio e o caçula usou por 2 meses quando tinha 7 anos, parou porque morre de medo de agulhas rsrsr) para grávidas - reportagem/vídeo do Dr Moura no youtube) e para todos que precisam de ter a imunidade inata ativada mais forte e por consequência, defendendo melhor nosso corpo, a ponto de mesmo curar doenças...
    Fica a dica: pesquise, se informe, leia e veja tudo que puder da terapia.. Pode e sei que é de grande utilidade.

    ResponderExcluir
  3. Muito legal seu blog! Eu tenho diabetes mellitus á 15 anos, tenho uma filha Alice de 3 anos e estou gravida de 29 semanas do Breno, uma foi diferente da outra a da Alice tinha muito Hipo e a do Breno Hiper mas graças a Deus os dois super saudaveis e eu tbm, o segredo é vc conhecer o seu organismo e assim td corre bem!
    Parabens pelo seu blog!

    ResponderExcluir