.

Sensor da Bomba Medtronic

|
Boa Tarde Pessoal! No que diz respeito á bomba tenho procurado esmiuçar as informações pois sei que só falando muitas vezes não dá para entender. Passo algumas horas para tentar deixar tudo explicadinho por aqui. Peço desculpas se por vezes tais informações não atendem as expectativas de vocês. Por isso em caso de dúvidas liguem para o 0800 da empresa.

Hoje vou focar a postagem no Sensor de Glicose da Medtronic, antes disso gostaria de lembrá-los que tenho uma postagem anterior sobre a bomba e seus acessórios. Cliquem aqui em caso de dúvidas.

Informações técnicas sobre o sensor de glicose: http://www.medtronicbrasil.com.br/your-health/diabetes/device/continuous-glucose-monitor/what-is-it/


Em breve farei um vídeo para que vocês possam entender tudo isso na prática.

Ontem (12/04) coloquei o sensor da Medtronic (ele não vem quando estamos em test drive por isso algumas pessoas não o conhece). Uma amiga e seu esposo, experientes no assunto bomba e sensor me auxiliaram nesta empreitada, lembrando que a empresa fornece profissionais capacitados para este tipo de instalação.

O sensor nas minhas palavras; " Ele é programado para dialogar com a bomba, que está programada (a minha no caso) para apitar quando a glicemia está abaixo de 80mg/dl e acima de 140mg/dl, metas estipuladas pela endocrinologista. Assim posso intervir em caso de hipo e hipers e evitar que estas se prolonguem."

Quem pode usá-lo? Pacientes com prescrição médica para a bomba de insulina, com histórico de flutuações glicêmicas, hipos severas e constantes hipers. O profissional de saúde  pode fazer o pedido deste equipamento quando solicitá-lo ao Estado e/ou Laboratório ( ele é cobrado á parte). Lembrando que o laboratório não o fornece no test drive, assim provavelmente você só o conhecerá quando comprar a bomba pedindo o mesmo ou ganhá-la do Estado com este acessório. Vale salientar que estes são insumos á parte da bomba.

Tem pessoas que não curtem este equipamento principalmente no caso de crianças pois acham uma "judieira" mais um furo nos pequenos e também alegam que a agulha desse é um pouco grandinha... Cada um, cada um...

Ás vezes seus valores não são tão precisos, mais te dá uma indicativa de hiper ou hipo, sempre quando ele apitar, faça o dextro para tirar dúvidas. A transmissão é feita por radiofrequência.

Lembrando que a aplicação da bomba é uma e a do sensor é outra, podem ser próximas ou não. Por exemplo, posso por a bomba e o minilink na barriga, como também posso colocá-lo no braço e bomba na barriga.

Peguei algumas imagens na internet e inseri comentários para ajudá-los na compreensão, outras figuras são minhas.

Espero ajudá-los...



Caixa que vem os sensores (contém 10).

Caixa que vem os acessórios para uso do sensor e Minilink- conhecido também Transmissor (aparelho que é encaixado no sensor e transmite as infs. para a bomba), abaixo mostrarei o mesmo.








Sensor fora da embalagem.





Aplicador do Sensor. Ele é encaixado neste objeto, engatilhado e aplicado na pele (dói um pouco, senti um pequeno queimor).



Ele já vem na posição de aplicação, por isso não há a preocupação de virá-lo. Nesta imagem a aplicação é feita na barriga, como também pode ser feita no braço.



Coloquei duas fitas adesivas para me assegurar que água não entraria ali, uma colega me disse q ñ há problemas se a água entrar,eu tenho uma certa coceira qdo a água entra no meio da fita adesiva e pele, experiência com curativos. Acho que também não custa zelar deste  acessório. Lembrando que a bomba está no meu flanco.
Sensor e bomba na barriga um pouco distantes.

Sensor e bomba na barriga próximos.

3 comentários:

  1. Sempre bom ver alternativas e mais alternativas nas medições de glicemias...meu filho é DMtipoI e sei que mais e mais avanços surgiram para diminuir tantas furadinhas!!!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  2. Quanto tempo, pode permanecer com este mesmo curativo? E de quanto em quanto tempo, fura com a agulha, recolocando o sensor?

    ResponderExcluir