.

Letícia me devolveu a alegria de viver

|
O diabetes chegou em minha vida quando tinha 14 anos de idade, bem na adolescência... Não tive dificuldades em aceitá-lo, usava NPH.

Aos 16 anos me sinto diferente, começo a suspeitar que estou grávida (sexto sentido feminino). Não deu outra, minha menstruação atrasou 2 semanas, fiz o exame de sangue  para ter certeza. No dia seguinte de fazer o Beta HCG, passo muito mal, minha mãe me leva ao Hospital, entro na emergência com  com cetoacidose diabética e fico internada na UTI. Após minha internação, meu namorado na época, me levou o resultado do exame de sangue: Estava grávida. Passei a inserir em meu tratamento a insulina Regular, ou seja, usei NPH e R.

Aos 3 meses faço uma ultrasonografia e descubro que meu filho (menino) estava com má formação em seus dois pés . Passei minha gestação quase toda no hospital, só vinha para casa duas ou três vezes no mês, a gestação foi bem dificil. Com 8 meses completos de gestação o bebê teve que nascer (cesárea),pois eu estava perdendo  liquido amniótico . Amamentei e curti o meu filho por apenas 5 dias, infelizmente ele teve uma parada cardíaca e faleceu. Aquilo acabou comigo.

Fiquei depressiva, não quis me tratar devidamente, a falta que meu filho me fazia era demais, estive com ele, o amamentei... E ele se foi... Não enxergava mais nada bacana em minha vida. O namoro com o pai do bebê acabou.

Depois deste episódio, passei a não me cuidar e vivia internada. Usei por 10 anos NPH e por 8 anos Regular, isso quando eu queria...

Com 20 anos comecei aos poucos a aceitar o Diabetes e me tratar . 

Conheci um rapaz bacana, fomos morar juntos . Queríamos um filho por outro lado, tínhamos um certo medo. Pensamos que se um dia fôssemos pais seria uma benção em nossas vidas.

Aos 21 anos fico grávida e por incrível que pareça foi uma gravidez maravilhosa . Eu só colocava meus pés no hospital em dia de pré-natal e exames de rotina que todos deram em ótimos resultados .Fazia perfil glicêmico quando necessário  e durante as consulta a necessidade era apenas de mudar as dosagens de insulina conforme minhas necessidades.

A dieta foi a mesma que  tinha antes de engravidar, exceto por comer mais coisas naturais.  

Minha filha nasceu no dia 06 de janeiro de 2010  com 51 cm 4. 020kg e com 9 meses completos, me enchendo de amor e alegria, me dando algo que eu tinha perdido: Esperança. 

Após o nascimento da bebê, tive muita dificuldade em encontrar um novo esquema de insulina, por isso mudei as mesmas. A recuperação da cirurgia foi rápida, tive alta com 4 dias e minha filha com 10 dias após seu nascimento pois nasceu um pouco amarelada e necessitou de  de banho de luz.

Usei NPH e Regular em ambas gestações, atualmente uso Lantus e Humalog e/ou Apidra

Hoje em dia eu sei o que é ser amada e admirada, vejo tudo isso no olhar e fala da minha filha

Ser mãe é gratificante!

Com Carinho,
Bruna (25 anos - A mãe babona da Letícia)


A razão do meu sorriso: Letícia!
 
Letícia e Bruna

3 comentários:

  1. Bruna seu depoimento aumentou ainda mais minha admiração por você. Deus apenas esperou um pouco mais para lhe dar uma filha maravilhosa. Você é merecedora de toda essa alegria. Beijos na lindona da Lele, minha sobrinha top model. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que linda sua história eu ja tava chorando no começo rsrs mais que vitoria Bru Deus te deu um desafio e você está superando e te deu um presente maravilhoso Lele aLegria e fé . Bjim doce no seu coração ass talita guidio

    ResponderExcluir