.

Mariana: Diabética que chegou á quase 40 semanas de gestação

|
Tenho 28 anos e fui diagnosticada com DM1 aos 24. Sabia muito pouco sobre a doença, e a minha primeira preocupação foi se poderia ter filhos, pois já era casada havia dois anos.
Comecei o tratamento com Lantus e logo os índices melhoraram, não foi muito traumático, pois aceitei bem a doença. Comecei tomando Lantus + medicação oral, e com a vontade de engravidar, comecei a fazer contagem de CHO e a usar insulina ultrarapida (humalog).
Depois de 3 meses de tentativas, o sonhado positivo chegou, e com ele muitas dúvidas e receios, afinal eu tinha diabetes há pouco mais de um ano e tudo aquilo era novo pra mim.
No início da gestação eu chorava a cada hiperglicemia, morria de medo das hipos, apesar de não ter tido muitas, ao contrário da maioria. As medições eram constantes, mas a coisa começou a pegar mesmo quando eu estava com aproximadamente 5 meses de gestação. A resistência a insulina começou, e tinha alguns picos de hiper e depois hipos, e tentei descobrir com o médico o que causava isso, sem sucesso. O café da manhã foi fracionado em 2 doses, para evitar os picos. Depois, a dose de insulina UR começou a aumentar gradativamente. No final da gestação, eu tinha quintuplicado a quantidade de insulina para uma refeição, sem contar os dedos furados de tanta medição. Todos os exames davam normais, e a gestação foi fluindo sem maiores complicações.

Minha maior vontade era que o Felipe nascesse na hora dele, sem cesárea marcada, não necessariamente de parto normal. Queria entrar em trabalho de parto. O endócrino sempre me disse que o ideal é esperar o bebe estar pronto, pois às vezes adianta-se o parto devido à diabetes e o bebê tem problemas para respirar, etc., que poderiam ter sido evitados.
Cheguei às esperadas 37 semanas muito tranqüilas, passando muito  bem. Os únicos problemas que tive foi inchaço nas pernas e a resistência a insulina. Os exames estavam muito bons, engravidei com hemoglobina glicada de 6,6%, e durante a gravidez ela oscilou entre 5,6 e 5,8%, devido ao controle.
Cheguei às 38 semanas muito bem, Felipe de cabeça pra baixo, mas nada de descer. E eu numa total ansiedade.
No dia que completei 39 semanas, fui à consulta com a obstetra, e ela fez o toque. Nenhum sinal que iria nascer logo. Eu tinha tido uma hipoglicemia uns dias antes, ela ficou muito apreensiva, pois poderia ser perigoso para o neném se tivesse uma hipo forte, e no finalzinho da gestação fica tudo descontrolado.
Era uma quinta-feira. Ela perguntou o que eu queria fazer... Ela esperaria até 40 semanas (próxima quinta-feira). Eu poderia ir para casa e voltar na segunda, fazer o toque novamente e agendar a cesárea. Ou agendar já, se tivesse vaga... Pra segunda... Quer que ligue... Liga. Ligou, tinha vaga. Vai nascer dia 27/02 então, segunda-feira as 17h30.
Passei o final de semana torcendo para que ele se manifestasse, viesse ao mundo na hora dele. Mas não aconteceu.
Então na segunda-feira, dia 27/02/2012, eu me internei mais cedo (depois do almoço) para fazer uma dose de antibiótico... O endócrino tinha orientado para tomar insulina normalmente no almoço... Tomei um pouco menos para evitar hipo. Mesmo assim ela veio depois de uma hiper... Eu estava no hospital sozinha (sem os médicos), liguei para o endócrino, ele mandou a enfermeira colocar soro com glicose... Ah!Mas ele não é o médico responsável, temos que ligar para a obstetra...Ela não atende, tive hipo. Finalmente conseguem falar com ela...Colocaram soro em mim, a partir daí a glicemia ficou na casa dos 90...
Achei muito baixo ainda, mas falam que estava bom. A médica chegou e me tranqüilizou pediu para que eu esperasse sua assistente chegar, com a chegada na mesma e meu psicológico não muito preparado fui para mesa de parto.
Glicemia ao entrar no centro cirúrgico: 91. Pensei: ta mto baixo, vou ter hipo. O anestesista pediu pra eu ficar tranquila. Ok.
O marido entra na sala de parto... Minha aflição aumenta e nada do BB nascer.Que demora (penso comigo).
Dr, Alexandre chegou (endocrino), ao medir a glicemia estava em 70, logo foi aumentada a glicose...
Na hora de tirar o Felipe ele deu uma cambalhota, a médica montou em cima de mim com o objetivo de desvirá-lo, me falata ar... Enfim... NASCEU!
Cadê o choro? Penso eu. Q demora!Ufaaa!!!Chorou, logo eu  chorei.
Ele é lindo! Mas levem ele embora... Tô curiosa!Quero saber qto pesa.. e a glicemia como está...
Levaram embora... não sei qto pesou nem da glicemia. O pai foi embora com ele.
Agora tira o cisto... Ah é, tem o cisto (eu tinha um pra retirar). Quanta demora! Quero saber do meu filho: Teve hipo? Nasceu macrossomico?
Fui pra sala de recuperação, me perguntando: Cade meu filho?
Fui informada que eu tremia muito por isso tinha que esperar por uma hora naquela sala.
Depois do tempo estimado fui pro quarto, agora o BB podia vir mamar...
Chega pai com bebe, pacotinho azul!
Vi a coisa mais linda da minha vida e o coloquei pra mamar. Qto pesou? 3.700 kg! Lindo, peso normal, sem hipo por enquanto!

 Voltando a realidade:
Felipe nasceu de 39 semanas e 4 dias, muito saudável com 3,700 kg e 50,5 cm. Não teve hipoglicemia ao nascer e nem no dia seguinte. Não teve icterícia. Fomos pra casa apos 48h como qualquer mãe com seu bebê.
A gestação foi ótima e faria tudo novamente. Hoje ele é um menininho de 1 ano e 7 meses, muito feliz e saudável. Ano que vem queremos ter outro filho.


A base de tudo é controle, antes e durante a gestação, e ter bons médicos que te apoiem nas suas decisões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário