.

Diabetes Tipo Mãe - Parte I

|
Meninas, escrevi um longo texto sobre Diabetes e Gestação. Coloquei nele minhas experiências, diálogos com médicos e coisas um pouco mais técnicas. Só que ele ficou grande demais. Então fui aconselhada por uma amiga a diminuí-lo para que minhas leitoras pudesse assimilar melhor o que eu estava escrevendo. Acho que a dica dela foi válida e assim dividi meu texto. Escrevi nele coisas básicas que acredito ser de suma importância uma diabética/familiares saberem.
Espero que gostem e logo postarei as demais partes do texto
Boa leitura!


Diabetes Tipo Mãe - Parte I
A maioria das mulheres sonham com a maternidade, seja ela no útero ou no coração. O sonho fica no campo das idéias, até que finalmente, decidi-se a hora em que se deve ter um bebê ou adotá-lo. Algumas não têm a chance de se organizarem antes da concepção, engravidam sem planejamento.
Com ou sem planejamento a maternidade para a mulher diabética é algo que muda totalmente sua vida, a gestação por si só é algo que mexe muito com a mulher, tanto no campo físico quanto no emocional, o diabetes oscila com todas estas mudanças, o metabolismo e hormônios femininos mudam significativamente, o que altera o controle glicêmico, esta é uma linha tênue com o diabetes.
Quando a diabética engravida um medo toma conta de si, são vários os questionamentos, o universo feminino já é tão complexo... São tanto os Serás...
-Será que eu posso?
-Será que não vou perder o bebê?
-Será que vou dar conta?
-Será que vou conseguir?
-Será que meu filho terá saúde?
São tantos os questionamentos que este texto seria muito pouco para elencá-los e para encontrar respostas para os mesmos. O fato é que para uma gestação bem sucedida e planejada há alguns passos, sendo estes:
- Fale com seu endocrinologista, pois é ele que sabe do seu cotidiano como diabética, por seus dextros, hemoglobina glicada (que deve estar inferior a 6,5%) e seu histórico ele melhor que ninguém poderá lhe direcionar;
-Procure um ginecologista/obstetra de alto risco, o mesmo lhe pedirá exame pré-concepcionais e lhe instruirá em que momento você deverá iniciar o uso do ácido fólico ou vitaminas necessárias;
-Se possível, seja assistida por uma nutricionista, pois a mesma lhe fará uma dieta antes, durante e depois a gestação, já que para cada uma dessas fases há uma necessidade maior ou menor de certos tipos de alimentos;
- Grande parte dos médicos aconselham diabéticas engravidarem mais jovens, portanto com menor tempo de diagnóstico, para se evitar as chances de desenvolver (se já não tiver) algumas doenças como: retinopatia e nefropatia (problemas na visão e nos rins) que podem se agravar durante a gravidez. Porém é sabido que com o tratamento adequado, respaldo e aval médico, pode-se ter uma ótima gestação, independente da idade, mas grande parte dos profissionais alertam para os possíveis riscos.
É fundamental o trabalho em conjunto entre obstetra e endocrinologista, já que toda e qualquer decisão deve ser tomada em conjunto com base no que for ocorrendo na gestação. Conheço mulheres que foram acompanhadas apenas por seus obstetras, estes mexiam nas dosagens de insulinas e cuidavam da parte endócrina da gestação, tiveram êxito, eu particularmente não aconselho, julgo imprescindível ambos profissionais.
Enfim... São tantas expectativas e cuidados até que finalmente o tão esperado resultado do Beta HCG chega positivo, o coração acelera a cabeça gira e agora se inicia um novo ciclo de constantes variações glicêmicas.  O fato é que depois de ter engravidado e de ter tido contato com várias mães diabéticas cheguei a uma conclusão: Cada corpo reagirá de uma determinada maneira, seja na questão alimentar, nos sintomas da gestação ou até mesmo na oscilação glicêmica. Porém algumas coisas são padrões. Levantei aqui questões que para mim são determinantes antes, durante e também no pós-gestação, principalmente se houver amamentação.
- Envolver-se com seu tratamento,
- Tenha uma equipe médica especializada em gestação de alto-risco,
-Questione sua equipe médica quando tiver dúvidas e as esclareça,
-Não compare sua gestação e seu tratamento com a de outras diabéticas, cada uma é cada uma,
-Confie em seus médicos,
- Pratique exercícios físicos (se permitido pelo médico),
-Ingira bastante líquidos,
-Dieta regrada,

-Monitoramento glicêmico com organização em planilha, sugiro isso, pois desta forma você consegue ter um parâmetro nos dias e horários de hipo ou hiperglicemias. Quando julgar necessário faça também um diário alimentar porque desta forma perceberá como certos tipos de alimentos reagem em seu organismo/glicemias, evitando-os se necessário.

Logo postarei a continuidade desse texto...

3 comentários:

  1. Oi me chamo Marina sou dm1 a 16 anos , em 2010 perdi meu filho com 28 semanas de gestação , não desenvolveram mtos orgão do meu filho , porém ele nasceu tão lindo todo formadinho lindo , ele morreu dia 23 de dezembro , dia 26 de dezembro fui p sta casa e tiveram q fazer parto induzido , ele nasceu no dia 27 se chama Lucas Daniel , q mandei fazer o sepultamento dele junto com minha avó .... Em dezembro do ano passado sofrii um acidente de moto , quebrei a bacia e deu fissura no joelho , estava com planos de engravidar no final desse ano , mas o milagre aconteceu , 2 dia antes do meu aniversario (28/03) desse ano fiz o HBCG e deu positivo , meu Deus nem acreditei , fiz os exames e minha glicada deu 7,8 , vi no post q tem q dar inferior a 6,5 , sera q corro o risco de perder di novo meu bb ??? , estou tentando controlar ao maximo , faz 10 meses q estou pagando outro plano de saude , porém os medico não me entendem direito ,fiquei com depre qdo tive hiper e fui na minha endocrei e ela disse q desse jeito eu ia perder meu bb, ai fui no outro endocrino e ele me passou dosagem e alimentção q eu fui super contra , tipo tomar NPH de manhã e as 13 hrs d tarde e só já tentei fazer isso uma vez e não deu certo tenho hiper de manhã , sempre ajusto com a regular e ele disse q era p mim jogar a regular fora , usar só NPH , mas eu tentei falar p ele q só a NPH não resolve e ele disse q se eu quisesse tratar com ele tinha q ser o jeito dele , aff , fora q eu falei p ele q estava comendo td integral arroz, bolachas , pão , macarrão , enfim e ele teve a capacidade de virar p mim e falar q integral não resolve nd q éh igual a comida normal , bem estou sem endocrino , tentando contrilar eu msm , tem dias q minhas glicemia estão uma beleza, dia q tenho mtas hipo e dias q só da hiper , estou de 14 semanas fiz o ultra de translucencia nucal semana passada e meu bb esta normal , perfeito , ahahaha como ele mexe , me chupa , vira pra lah , vira pra ká , toh morrendo de amor , no momento etsou sem condições financeira de pagar um endocrino e já não sei mais oq fazer , essa semana tenho consulta com GO espero q ele me ajude , pois preciso mto de ajuda não suportaria perder mais um bb , da outra vez engordei 25 kg , fiquei 1 ano depressiva , não aguento passar por isso de novo não , estou orando e pedindo a Deus tds os dias mta saude pro meu bb e q eu possa controlar mais minhas glicemias, ontem e hj estão em torno de 200 a 300 , eu não sei oq fazer , acho q precisaria de uma insulina q agisse mais rapido q a regular , pois a regular cmeça a fazer efeito depois e 2 a 3 hrs q eu tomei , se tah 300 agora ela só vai começar baixar depois de 3 hrs , o segundo medico q eu fui falou q era só NPH p mim, estou mto sem chão , porém com esperanças de novembro estar com meu bb em meus braços ....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No lugar da NPH há 4 anos que eu uso a Lantus e em vez da regular uso a Humalog ou Apidra ou Novorapid. A Lantus eu entrei com processo na Defensoria Pública da União e recebo do governo todo mês. Essa insulina é considerada melhor que a NPH pois não faz pico e te proporciona um controle melhor da glicemia. Já as outras três, sei que a Apidra não é cara pois eu comprava na farmácia (R$ 27). Não a uso mais agora porque entrei de novo com processo na Defensoria pra conseguir a insulina rápida e as tiras de glicemia, e agora recebo tudo pelo governo (a insulina rápida é a Humalog, que tem o mesmo efeito e ambas agem em 15 minutos depois da aplicação). Se você quiser entrar pela Defensoria vai precisar de um endócrino, pois vai precisar de um laudo pra entregar com o processo. Eu fiz assim, o processo não demorou e, apesar de ter de ir na Defensoria reclamar de vez em quando, consigo tudo o que preciso.
      Tenho DM1 há 21 anos e tenho 30 anos agora. Estou grávida do meu primeiro filho que no momento está com 11 semanas. Tenho planejado isso há quase um ano e quase não acreditei quando vi o positivo. A glicemia também varia, no geral menor de 250, mas de madrugada ela vai lá pro chão... 35, 55, 28, 43. Também fico perdida mas procuro pensar positivo.

      Excluir