.

Valentina, minha guerreira

|
Olá! Meu nome é Ariane, sou advogada, tenho 33 anos, sou diabética  tipo 1 há 32 anos, uso bomba de insulina com a insulina Novorapid. Embora tenha um pouco mais de três décadas de DM não tenho nenhuma sequela decorrente do mal controle glicêmico.

Como a maioria dos casais decidimos que seria a hora de termos um bebê, estávamos juntos há 11 anos e casados haviam 4 anos. Sabíamos que com um bom controle minah gestação seria possível. Engravidei em novembro do ano passado,me programei um ano antes tratando com o G.O e com a endocrino, tendo que emagrecer e deixar a glicada em 7. No começo, minhas glicemias não abaixavam estavam sempre em torno de 200 mg/dl, eu levava bronca do meu GO em todas as consultas.

A partir do 3º mes de gestação, consegui controlar minha glicemia, chegando no máximo ate 170mg/dl, sendo que a minha glicada ficou em 5,7%.

Meu GO sempre foi duro comigo, tirando inclusive os carboidratos do café da manhã, lanche da tarde, deixando só no almoço e jantar, e ainda assim bem pouco.Quando ele mudou minha alimentação, fiquei inconformada, revoltada, mas mesmo assim segui e vi que realmente foi mais fácil de controlar tanto a glicemia, quanto o peso.

A partir do sétimo mês, tudo mudou, pois as dosagens de insulina aumentavam semana a semana, o que fazia com que eu ficasse desesperada, pois não queria que nada acontecesse com minha bebê. Procurei não me estressar em meu emprego, tudo para que minhas glicemias não alterassem.


Última foto grávida

Escolhemos o nome Valentina que significa força, vitoriosa, cheia de luz e saúde, escolhi esse nome, junto com o meu marido pois desde a barriga ela sempre foi forte, valente, com vontade de vir ao mundo, fazendo jus ao nome. 

As glicemias chegaram no máximo em 170mg/dl, e eu media de uma em uma hora para não deixar subir.

Meu médico resolveu fazer o parto cesárea com 37 semanas, sendo que desde o inicio ele disse que não ultrapassaria as 37 semanas, tendo em vista o risco.Com 36 semanas de gestação, na ultrassom acusou excesso de liquido aminiótico, motivo pelo qual fui internada por uma semana para controle, sendo que o parto foi feito com 37 semanas e dois dias.


Nosso primeiro contato

Confesso que estava com muito medo da cirurgia, se tudo ia dar certo, se minha bebê precisaria ir para a UTI... Inúmeros questionamentos me rondaram...

Os preparatórios para o parto iniciaram  a meia noite do dia 08 de agosto de 2014. Colocaram soro com glicose na minha veia e as três da manha fui levada para a sala de parto para  tomar a anestesia e fazermos a cesárea. Entrei com a glicemia em 110mg/dl  na sala de parto, sai com 136 mg/dl.

Tive um parto maravilhoso, ocorreu tudo dentro dos conformes, ela nasceu com 3.050g e 47 cm. Linda demais, não precisou ir para a  UTI,o  que era o meu maior medo.

Confesso que durante a gravidez chorei muitas vezes com medo de que não fosse dar certo, chorei por causa do controle doido que eu estava fazendo e de toda a mudança na alimentação, rotinas, enfim, de tudo que estava acontecendo, mas sinceramente, não me arrependo de nada e pretendo ainda ter mais um bebe daqui dois anos.

Amamento exclusivamente e já perdi os 7 quilos que engordei durante a gestação. Estou tendo que tomar muito cuidado com as hipos,pois com a amamentação faz com que tenha mais hipos, sempre quando vou amamentar meço minha glicemia e caso esteja baixa como algo para depois amamentar, alem de reduzir as dosagens de insulina.

Acredito que com um bom controle todas as diabéticas podem ter  filhos normalmente, não esquecendo que a nossa gravidez tem que ter um controle maior, que abrange: alimentação,exercicios físicos (se permitido),controle emocional( o que eu acho que pesa mais) e uma boa equipe médica. Parece sacrifício mais não é! Vale muito a pena! Eu incentivo uma gestação DM dentro do que mencionei acima.


Valentina .

Nenhum comentário:

Postar um comentário