.

Meralgia Parestésica e Síndrome do Túnel do Carpo

|
Há mais ou menos 3 anos e meio atrás comecei a sentir queimação, ardência e diminuição da sensibilidade na parte lateral da coxa direita, além de ter  a sensação de formigamento. Fui levando até onde aguentei, sabia que poderia ser mais uma "doença" e pra falar a verdade já não tinha saco nenhum para receber mais um diagnóstico. 
Não deu mais para aguentar relatei os sintomas á endocrino que me pediu um exame chamado Eletroneuromiografia dos membros inferiores, fui alertada pelo laboratório que os preparos seriam:
- Evitar utilizar cremes hidratantes em qualquer parte do corpo nas 24 horas anteriores ao exame, 
-Ir com short ou saias para o caso de exames dos membros inferiores.
O dia do exame chegou, eletrodos foram colocados em minhas pernas e  pés, com uma agulha a profissional perfurava alguns pontos dos meus membros inferiores, dando uns choquinhos,  involuntariamente minhas pernas e pés se mexiam, situação incômoda, porém tolerável. Algumas vezes a médica pedia para eu fazer certos movimentos durante o procedimento.
Foi bem chatinho fazer aquele exame, o mesmo diagnosticou que eu tinha Meralgia Parestésica.

Esta doença da-se pela compressão do nervo cutâneo femoral lateral da coxa, geralmente em sua passagem pelo ligamento inguinal próximo ao osso da bacia.

O diabetes poderia ser uma causa, mas não dava para afirmar, haviam outros motivos a mais que poderia desencadeá-la. Leiam o link abaixo.

http://www.mundosemdor.com.br/meralgia-parestesica/

Após o diagóstico minha endocrino me encaminhou para o neuro, este inicou o tratamento com carbamazepina, já que no tratamento com medicamentos antidepressivos tricíclicos e anticonvulsivantes são os mais recomendados.

Foi horrível a adaptação com o medicamento até que o parei de tomar (não recomendo, foi uma falha minha)...

Com o passar do tempo as dores foram "sumindo", me esqueci da doença, esporadiacamente os incômodos vinham e eu ia remediando com alguns medicamentos... 

Até que veio a gestação, e a mim só restou  aguentar as dores até onde podia , quando tornavam-se insuportável tomava algum remédio para aliviá-la , fui aconselhada a  iniciar a hidroginástica, porém não deu...

No decorrer da gravidez veio, hipertesão, tireóide, dilatação e contração precoce,aumento do líquido amniótico e as doenças se seguiam...

Até que mais uma veio para o clã a Sindrome do Túnel do Carpo ...

Fiquei sentindo dores nas mãos e punhos, aliás muito mais dormências , principalmente no polegar , indicador e médio  e  na palma da mão. Durante o dia eu quase não as sentia... Mas a noite? Aff!!! Eram horríveis! Eu acordava pela madrugada com os sintomas, dormir para mim era luxo, acordava para medir a glicemia, com o apito do sensor da bomba, corrigir hipo... E agora estas dores? Logo meu filho nasceria e eu "nunca mais dormiria"... Aquilo estava abalando meu emocional...

Algumas vezes não conseguia ter firmeza nas mãos...Me sentia muito mal!

Cansada, cheia de doenças!!!! Socorro!!!

Os médicos detectaram o que era, porém preferiram fazer a Eletroneuromiografia dos membros superiores após o nascimento do Davi.

Remediamos a Síndrome do Túnel do Carpo assim como fizemos com a Meralgia Parestésica.Aliás posso usar  o imobilizador para dormir, a fim de melhorar os sintomas da sindrome.

Davi nasceu e os sintomas permaneceram, ele  era um bebê chorão, dormia pouco pela madrugada, eu fiquei ainda pior, dores, bebe chorando e glicemias... Sem falar o corte da cesárea que teve uma ótima cicatrização porém até tirar os pontos exigia certo cuidado.Não sentia firmeza ao pegar o nenê... Isso não era sempre...Mas imaginem como emocionalmente eu estava... Não conseguia conversar sobre isso, pra família poderia ser taxada de incapaz de cuidar do meu bebê (sim, pq as pessoas julgam antes mesmo de entender), as amigas não teriam saco pra aquilo...

Fiz o exame e comprovamos a doença em seu grau inicial. Isso me abalou... Estava amamentando e tivemos que continuar remediando-a.

Atualmente, estou muito bem quanto á ambas doenças, quase não as sinto, tento repara se há algo que desencadeie as dores... Por enquanto me sinto livre! E isso é muito bom!

Quando as dores voltarem, será a hora de dar uma melhor atenção á estas,lembrando que ainda amamento.

Link sobre a Síndrome do Túnel do Carpo

Decidi fazer este post pois algumas amigas tem me relatado tais doenças, achei bacana compartilhar com vocês minhas experiência...



Nenhum comentário:

Postar um comentário