.

Do Brasil á Itália: Eu, Minha gestaçào,maternidade e o DM.

|
Eu sou Louise, tenho 28 anos e 18 de diabetes. Brasileira, porém moro na Itália com meu 
esposo e filho.

No começo, com 10 anos, foi complicado. Foram vários dias de luta para não tomar insulinavários dias de tristeza e não somente para mim, mas para minha família também. Meu pai, que é um médico, notou logo qual era o probleminha que me fazia perder o sono, peso e
ter muito apetite. 

O tempo foi passando e a fase do não querer aceitar diminuia. Já com 12 anos aplicava a minha insulina sozinha e me comportava direitinho com relação à dieta. Claro que, como 
qualquer pré-adolescente, eu era rebelde e muitas vezes não aceitava nada e nem
 ninguém. 

Com o tempo comecei a entender que viver bem era uma questão de controle e esse 
controle dependia só de mim. Foi complicado, mas melhorei! 

Aos 21 anos fiquei grávida sem planejar, estava com a glicada em 8% e uma vida 
completamente nômade, pois eu ainda não morava definitivamente aqui na Itália.Então 
transitava entre Brasil e aqui. Parei, respirei fundo e disse para mim mesma que tudo daria certo. E deu! 

Meu pai foi meu GO, fiz o pré-natal aí e David nasceu no Brasil,  tudo correu muito bem! Eu engordei 9 quilos e já no terceiro mês estava no meu peso normal. 

Meu filho nasceu de cesárea com 37 semanas e 5 dias, pesando 2,570kgs e medindo 
48 cm, teve uma discreta hipoglicemia nas primeiras 12 horas de vida. Não ficou na UTI,
 voltou para casa comigo no quarto dia de vida. 

Amamentei quase um ano, tinha muita hipoglicemia neste período!  Foi necessário reformular doses, sem maiores problemas! Minha gravidez foi tranquila, eu tinha medo de tudo, mas fisicamente estava muito bem! Meu marido viveu muito bem a minha gravidez 'especial', me ajudou muito e em tudo, mesmo de longe, pois ele estava aqui na Itália e eu no Brasil. 

Atualmente uso Levemir e Humalog, tenho tudo completamente grátis  aqui. Uma vez por mês pego em qualquer farmácia tudo o que me serve. A saúde pública aqui funciona muito bem e é de qualidade! Nunca tive nenhuma dor de cabeça com isso! 

Nosso Mosaico de fotos!


Hoje  levo uma vida completamente normal, moro na Itália e controlo muito bem a minha 
glicemia. Aqui participo de um grupo de estudo sobre diabetes do hospital San Raffaele di Milano ( filhos de diabéticos ). Meu filho faz um exame de sangue por ano onde eles procuram esses anticorpos que podem provocar diabetes nele. Até hoje nada foi encontrado, graças a Deus! Eu não tenho nenhuma sequela, nunca tive internações sérias ou hipoglicemias que me levassem a problemas mais complicados.

Sou muito feliz, vivo muito bem e em breve, se Papai do Céu deixar, meu David terá um
 irmão para dividir as alegrias e tristezas da vida! Essa gravidez será planejada e a glicada
 já está em 6! 

A Kath me perguntou como vivem as grávidas DMs, poderei responder isso em breve, 
quando estiver grávida do meu segundo! 

E é isso. Para minhas amigas docinhas que desejam ter um bebê eu diria que a palavra 
certa é controle! Só assim e com muito amor e calma, tudo dará certo! 
 

Um comentário:

  1. Olá! Muito legal seu depoimento. Meu filho tem dm1 e penso em me mudar pra Itália e eu gostaria de saber como é a saúde por aí,se é gratuito as insulinas e insumos como as glicofitas? Agradeço desde já a atenção... Muita saúde pra você e sua família!

    ResponderExcluir