.

Há 27 anos diabética e 2 filhos lindos e saudaveis

|
Olá! Meu nome é Amanda Vicenza,tenho 37 anos,fiz magistério lecionei por 2 anos e fui para área de telemarketing. No decorrer dos anos trabalhados nesta área, desenvolvi alguns problemas como: tendinite, tenossinovite, sindrome do túnel do carpo, dedo em gatilho e a doença de dupuytren que são nódulos nos tendões. Estas doenças se deram pelo excesso de trabalho no computador, muitas horas por dia com movimentos repetitivos.Atualmente infelizmente estou aposentada por invalidez.
Sou diabética mellitus tipo 1 desde os meus 10 anos, quando criança eu me cuidava muito melhor que hoje, era muito apegada a minha mãezinha e morria de medo de ficar internada longe dela, então mesmo quando podia não comia nenhum docinho para poupar-me.
Quando fiz 12 anos minha mãe me perguntou se eu queria aprender a me aplicar insulina,no inicio não tinha seringa descartável somente seringa de vidro, minha mãe fervia e esperava esfriar toda vez antes de aplicar. Com a seringa descartável pude aprender a me medicar e a uso até hoje, tantos anos de prática se deixar aplico de olhos fechados...rsrsrs.
Me sentia mais independente com isso, Deus preparou este momento pois pouco tempo depois aos 14 anos perdi minha mãe. Foi um choque! Tive que amadurecer da noite para o dia e cuidar das minhas irmãs de 3 e 6 anos na época. Sofri demais com a morte da minha mãe,nem sei como superei... Fui morar em Bragança Paulista com meus tios.
Quando fui crescendo aprendi a dar um jeitinho ao meu favor quando queria, um exemplo era comer doce e compensar na insulina e assim fui levando.
Houve uma vez que viajei com meus tios para Santo André, tive uma cetoacidose diabética e parei na UTI, mas graças a Deus sobrevivi sem sequelas.
Frequentava baladas,saída com amigos, aproveitava a vida como podia e todos meus colegas sabiam que eu era DM e cuidavam de mim.
Algumas vezes pedia para os garçons guardarem insulina na geladeira para mim,os bonzinhos me ajudavam rsrs, virava a noite e amanhecia nas baladas. Talvez imprudente algumas vezes,mas fazia o que me dava na telha. No fundo eu me preocupava com o DM, tanto que levava as insulinas para a balada.
As pessoas me julgavam doidinha, podia até ser as vezes,mas otimista e bem-humorada também rs
Aos 24 anos conheci minha alma gêmea, o Douglas. Lembro do nosso primeiro encontro como se fosse hoje, pedi um suco dell vale sem açucar e expliquei q era diabética, ele já sabia do que se tratava pois a avó dele era DM também. Após 6 anos juntos decidimos ter um filho, foi no ano de 2007, estava afastada do trabalho e tinha o convênio da empresa, vinha a São Paulo fazer o pre-natal pois em Santo Andre onde moro, não tinha médicos de alto risco para me tratar. Ia de ônibus,trem,metrô,toda semana.Levava meu kit de sobrevivência que continha: fruta,bolacha e água com açúcar para possíveis hipos, usava o glicosímetro do convênio pois na época ainda não tinha o meu próprio. As hipos eram constantes, Douglas que me salvava, durante as madrugadas eu nem acordava devido a isso, por este motivo fui morar na casa da minha sogra para melhor ser atendida. Mas buscava de forma ansiosa por uma casa de aluguel pois queria que meu filho nascesse em nossa casinha,devido a profissão de feirante de meu marido ele não podia se dispor e fazer pesquisas para termos nosso lar.
Na gravidez toda engordei apenas 8 quilos, minha cesárea foi marcada ao fazer a última ultrassom, quando completei 38 semanas de gestação. Por ser assintomática, já tive vários problemas com hipo, fiquei internada quando estava de 3 meses de gestação porque em uma consulta meu dextro estava 19 e o médico pediu com urgência uma ultrasson para ver o bebê.Passei 5 dias internada e depois somente quando ele nasceu e retornei ao local.
Meu bebe nasceu dia 17/04/2008, e recebeu o nome do pai, pesando 2.3375 kgs e 42 cm,não foi tão grande pois eu e meu esposo somos baixos em estatura.
Tive muito leite, tanto que pude doar ao Hospital e Maternidade Mari Covas aqui de Santo Andre, mas as hipos me perseguiram neste processo de amamentação, várias vezes acordava lavada de agua com açúcar pois Douglas tentava me salvar e na tentativa desesperada me molhava.Meu filho mamou até 5 anos de idade.
Foi uma dura fase, mesmo porque eu não tinha glicosimetro para fazer os dextros, um tempo depois foi que consegui no posto de saúde, lá é que pego todos os meus insumos. Tenho muitas histórias de hipo com o Douglas (meu filho), houve uma vez, ele com 3 anos de idade, me viu deitada desacordada, logo pegou o celular e ligou para o pai para falar, não conseguindo contato com o pai, ligou para um amigo da família e o comunicou dizendo:
-Minha mãe tá mal!
A pessoa lhe perguntou os dados de nossa casa Douglinhas passou e quando voltei a mim estava sendo atendida pelo SAMU em casa, meu filho estava sendo amparado por policiais que foram até o local.
Meu homenzinho já tem 7 aninhos, é ele que crescendo com uma mãe DM aprendeu a cuidar de mim adequadamente e entender a doença.
Voltei a sonhar com a maternidade e meu filho queria muito um irmãozinho, meu marido fugia do assunto, morria de medo de que tudo o que passamos com a gestação do Douglinhas se repetisse, mas fui teimosa e no dia das mães de 2014 recebemos a notícia que EU ESTAVA GRÁVIDA NOVAMENTE.
Fiz pré-natal em São Bernardo desta vez, fui muito bem atendida com especialistas de alto risco, eu precisava muito pois era DM e também hipertensa. 
Me mantive otimista a gestação inteira, o médico dizia que eu era a paciente mais alegre e feliz que ele tinha. Tiveram vezes que pegava o trólebus para ir ao pre-natal e ia o percurso inteiro em pé,mesmo assim estava contente.
Fiz uso de insulina nph e regular e tomava de acordo com os dextros, o Dr. Paulo médico dos Hospital das Clínicas me fez uma planilha onde eu me medicava conforme os dextros, isso facilitou em muito minhavida, seguia tudo o que me diziam, comia de 3 em 3 horas, usava medicamento para hipertensão e as vitaminas necessárias para este período.
Enjoei muito durante esta gestação, era a mexerica que me salvava, aliviavam em meus enjoos, precsei mudar de casa e imagine como fiquei, em meio ao pre-natal mais filho,marido e mudança rsrs
Engordei 2 quilos apenas, ia toda semana ao médico e levava minha planilha de dextros (fazia os dextros 7x por dia), quando as coisas estavam correndo bem, o médico prorrogava as consultas para cada 15 dias.
Quinzenalmente fazia exame de sangue para avaliarmos a função renal .
Um pouco antes de engravidar precisei fazer fotocoagulação (O laser é indicado para pessoas que apresentam doenças que afetam os vasos sanguíneos do olho, como ocorre no sdiabéticos. ).Tenho retinopatia diabética e somente com laser pude controlar as hemorragias. Logo terei que voltar a fazer pois isso comprometeu minha visão, de perto enxergo bem,mas de longe não. Ao descobriri a gestação parei o tratamento,mas tenho que voltar em breve.

Tinha aquela rotina de ultrassons,dextros,planilhas,dietas e afins e assim tudo se seguiu bem. Meu bebê era tão animado, como pulava! Eu o chamava de pula pula rsrs No dia 06/12/2014 o Ivan chegou para alegrar nossas vidas, outra cesárea com 38 semanas de gestação , o capurro constou 37 semanas.
O médico agendou meu parto porque minha placenta já estava grau 3 e o mesmo sempre dizia que era perigoso, pois a placenta de mãe diabética sempre amadurece mais depressa e por isso não podia passar muito.
Ivan nasceu com 43 cm e 2.095 quilos e 95 gramas,ficou algumas horas na UTI pois nasceu um pouco cansado por ter ficado sentado na barriga e não encaixado como deveria, mas logo foi para o quarto.
No terceiro dia do nascimento fomos para a casa e o bebê havia reduzido no peso, o amamentei em livre demanda para ajudar, complementei com fórmula por indicação médica, ele estava com 1.910 kgs(peso de prematuro, coisa que ele não era).
Atualmente Ivan tem 5 meses,pesa 5.860, gorducho,lindo e alegre, o amamento e uso fórmula. Confesso que depois do nascimento dele nem consegui me organizar apara ir ao médico, mas sei que preciso.
O DM está descontrolada., resolvi me dedicar ao tratamento e agora que lee já está com 5 meses consigo fazer as coisas mais certinhas, comecei a antiga dieta que a nutricionista tinha me passado antes de engravidar e estou fazendo 40 minutos de exercicio aeróbico,pois hoje estou com mais peso do que na gravidez, ando comendo muito...


O crescimento do bebê tem me possibilitado comer e me cuidar melhor, o coloco no carrinho,ponho algum desenho que o distrai e este é o tempo que consigo comer adequadamente e fazer meus dextros e na hora de seu sono consigo descansar e até assistir uma novela rs... Vida de mãe é uma correria só e ainda tenho o filho maior.
Na segunda gestação não fiquei internada nenhuma vez. Raramente meus dextros foram ruins, mas quando alteravam (farei uma confissão, não me tenham por exemplo) eu mentia os resultados na planilha e mostrava para os médicos os valores ideiais que não verdade ás vezes não existiam, eu não tinha com quem deixar meu filho e morria de medo de ser internada. Com quem o Douglinhas ficaria?
Sofria quando minha pressão estava 16/10 e o médico queria me internar, sou mãe corujona e gelei pensando no meu filho mais velho.Mas que era só tomar o remédio e repousar que tudo ficava bem. 
Tive os meus deslizes,confesso mais a fé me Deus me direcionou,orei tanto por esta gestação,clamei tanto ao Senhor! E hoje me vejo mãe de dois lindos garotões, ás vezes meu físico se cansa pelo excesso de responsabilidades,mas me alegro pela saúde que Deus os concedeu, pela alegria que meus filhos tem e pelo dedicado marido que tenho, daí o cansaço acaba sendo o de menos.
Minha mensagem a quem deseja ser mãe é uma: Sonhe, se organize, tenha Fé em Deus , se dedique na dieta,nas consultas, nos dextros ,pode parecer cansativo,mas imaginem eu que me furo e vivo isso há 27 anos hem!
Se algo fugir do controle avalie,reflita e conclua o que pode ser feito para que da próxima vez as coisas possam ser melhores.

Agradeço ao Blog Diabetes e Você e a Kath por poder compartilhar a minha história.
Espero que tenho ajudado-as!
Abs á todas! 
“Persistir sempre....desistir jamais”.
Fiquem com Deus

2 comentários:

  1. nossa mãe,fiquei bem comovida ,parabéns q/ mãezona vc,,q/ Deus continue sempre te abençoando ,tenho medo pois já tive uma perca faz 8 anos depois disso nunca + tentei,mas to começando a criar coragem....abraço;;;

    ResponderExcluir
  2. Amém Vandi....q assim seja...Q Deus nos abençoe sempre e q seu sonho se torne realidade......se eu puder ser útil ajudar com minha experiência de vida ...meus ouvidos....com uma amizade q está começando agora por muito q temos em comum...conte sempre comigo!!!!bjsss <3

    ResponderExcluir