.

Relactação, você sabe o que é?

|
Há um ano e meio atrás fui buscar meus insumos  da Bomba de Insulina da Farmácia de alto custo, lá conheci uma moça e na fila começamos a conversar, no vai e vem da conversa ela disse que sua irmã teve um câncer que a impossibilitou de gestar, ela adotou um bebê e estava amamentando. Perguntei como aquilo era possível e foi neste bate-papo que ouvi falar pela primeira vez sobre  RELACTAÇÃO.
Achei simplesmente fantástico saber que isso era possível, lembro que sempre quis amamentar e como eu sofri para tornar este sonho possível, foia pós muita insistência, ajuda de medicamentos que consegui amamentar o Davi e o faço até hoje. Gostei de saber sobre isso e sabia que  aquela informação me seria de grande valia.
Nos últimos meses mães têm me procurado e me dito sobre algumas dificuldades que tiveram e desistiram de amamentar, não sou da área da saude, tao pouco quero julgar alguém, pois cada um tem seu histórico não só de algo físico como também psicológico, porém trouxe a tona este assunto para que vocês possam conhecê-lo e também pensarem nesta possibilidade.

Amamentar deve ser algo que a mãe de fato queira faze-lo pois trata-se de uma entrega,não só de nutrir o corpo como criar laços,afeto e muito mais,ninguém é menos mãe por não amamentar,mas falo com carinho disso pois logo depois do nascimento do Davi eu voltei a trabalhar muito intensamente e sempre quando chegava em casa no fim da noite amamentava-o, aquilo para mim era indescritível. 

Vamos lá falar da relactação.

Relactação é um termo utilizado para a mulher que já esteve grávida em algum momento da vida e quer voltar a amamentar um bebê, seja ele biológico ou não. Isso mesmo! É a engenharia perfeita do corpo humano atuando em favor da alimentação natural. 

A técnica é muito simples e pode ser conduzida por um profissional de saúde com sólidos conhecimentos em aleitamento materno:Uma sonda nasogástrica nº4 tem suas pontas cortadas e aparadas. Uma das extremidades é afixada com fita hipoalergênica junto ao mamilo e a outra é mergulhada em um recipiente com leite humano, que pode ser conseguido em um banco de leite. Ao sugar, o bebê recebe o alimento através da sonda, ao mesmo tempo em que estimula a produção dos hormônios hipofisários, prolactina (responsável pela produção de leite) e a ocitocina (responsável pela ejeção do leite)

O interessante é que o bebê não desiste de sugar o seio porque recebe dele o leite para saciar suas necessidades, ainda que não seja inteiramente o leite de sua mãe. 

Para que as etapas sejam bem sucedidas, é essencial o acompanhamento de um profissional, além de muita motivação materna e envolvimento familiar. A mamãe deverá estar disponível para as mamadas que deverão ocorrer sob livre demanda ou no máximo a cada duas horas, inclusive no período noturno, onde a secreção de prolactina é mais acentuada. Além disso, o profissional deve cercar todos os fatores de risco que podem levar o processo ao fracasso, através de estratégias pontuais e preparo do ambiente para que a mamãe não fique ansiosa ou viva situação de forte estresse.

A boa notícia é que os resultados podem aparecer em uma semana, podendo levar entre 15 e 45 dias para que a produção de leite se restabeleça por completo. Vale ressaltar que apesar de 84,8% das mulheres conseguirem relactar, deve-se considerar que quanto mais jovem for a criança, mais fácil será para fazer com que ela volte a mamar, por não ter tido contato prolongado com bicos artificiais e outros alimentos. Além disso, estudos mostram que relactar é mais fácil quando o intervalo entre o parto e o início da relactação é menor que seis meses.

É possível perceber que o fator mais expressivo é a correta estimulação das mamas, acompanhado por apoio profissional, desejo e idade do bebê, apoio familiar e motivação materna. 

Como proceder:

1) Adquirir a sonda em farmácias (comuns ou que vendem material hospitalar).
Pedir por sonda nasogástrica número 4 ou 5.
Comprem várias sondas, pois em minha opinião é melhor descarta-las apos uso pois é dificil de lava-las bem (embora a sonda possa ser bem limpa e esterilizada em água fervente cada vez que for usada). Essas sondas nada mais são do que tubinhos fininhos, e custam centavos cada.



A empresa Medela vende um kit de relactação já pronto para utilizar, como esse:

No Brasil, o kit encontra-se nos sites abaixo e em várias outras revendedoras da Medela: 



Existe também a opção de usar o kit Mamatutti, porém as mães relatam que o fluxo é muito intenso com esse kit, então dêem preferência ao kit manual ou da Medela.


2) Preparações:
Coloquem o leite artificial ou materno ordenhado (com auxilio de bomba ou ordenha manual) no recipiente escolhido (seringa, copo ou mamadeira).

Em meu caso utilizei seringa pois usei somente nos primeiros dias após o nascimento do meu primeiro filho, a quantidade era pequena mesma e a seringa foi uma boa opção.

Coloquem uma ponta da sonda no recipiente e a outra deve ser presa ao seio, com sua extremidade perto do mamilo (pode usar um esparadrapo, micropore para tal). A ponta que fica no peito tem que ficar bem na auréola.

Tentem colocar o recipiente com o leite num local próximo e acima do nivel do peito, para que a ação da gravidade facilite o fluxo do leite, e de preferencia numa superfície firme para evitar que caia no chão. Nas primeiras tentativas vale a pena pedir ajuda de outra pessoa que segure o recipiente com o leite.

3) Iniciando:
Ponham o bebê no seio para mamar. A criança sugará o mamilo e a sonda ao mesmo tempo e, à medida que se alimenta, também estimula a produção do leite materno. A altura em que é colocado o leite e a força de sucção da criança determinam a velocidade de ingestão. O fluxo é controlado ao se dobrar um pouco a sonda. Desse modo o bebê comeca a associar o peito com alimento (evitando ou restringindo o uso da mamadeira que pode levar à um desmame precoce por confusão de bicos ou por desinteresse do bebê no peito pela facilidade de fluxo de leite que existe na mamadeira).


4) Quanto tempo preciso usar esse sistema?
O tempo para que a produção de leite pela mãe aumente é de no mínimo uma semana, requer paciência e persistência para se obter sucesso. O leite ministrado pela sonda é o que a criança estava usando e, na medida do aumento de produção pela mãe, este é restringido progressivamente.

5) Que mais posso fazer para aumentar minha produção de leite?

- Meu Lucas ficava no peito por 1 hora, as vezes 2 horas direto mamando! A sucção do bebê é a mais poderosa que existe, então amamente em livre demanda, mesmo sem a sonda, sempre que puder.

- Utilizem uma bomba elétrica de boa qualidade e expresse seu leite também sempre que possível. Eu o fazia 2-3 vezes por dia.

- Descarte o uso de qualquer bico artificial:  mamadeira (o objetivo dessa técnica é também restringir seu uso até eliminar totalmente), e não ofereça chupetas ao seu bebê.

- Carrege seu bebê num sling ou outro tipo de carregador, sempre que possível.

- Descanse quando puder, tire sonecas quando o bebê também o fizer. Durma perto de seu bebê (com as medidas de segurança para prática da cama compartilhada em dia). Pesquisas mostram que cama familiar pode ajudar no estabelecimento da amamentação.

6) Quais são as indicações do uso dessa técnica?
No momento posso citar: quando a mãe fez redução de mamas (como foi meu caso), quando o bebê por algum motivo não pôde amamentar desde o início e foi afastado da mãe e quando o uso da mamadeira por algum motivo está arruinando o estabelecimento da amamentação.
Um vídeo

Ambos os textos informativos foram extraidos dos seguintes sites:
http://consultoraemamamentacao.blogspot.com.br/2011/03/o-que-e-relactacao.html
https://www.facebook.com/note.php?note_id=168097856575920

Um comentário: