.

Diabética Tipo1: Gravidez tranquila e parto induzido

|
Bom, meu nome é Jucileia Luzia Pellozzo, tenho 36 anos, manicure há mais de vinte anos, sou Natural de Campo Grande/ MS, me mudei para Ribeirão Preto há mais ou menos uns dez anos.
A minha mudança para Ribeirão Preto deu-se quando descobri o diabetes tipo 1 aos 26 anos de idade, na época vim pra cá na esperança de conseguir participar da pesquisa de células tronco, porém infelizmente não consegui, já tinha mais de seis meses de diagnóstico e no caso teria que ter no máximo dois meses, diante disso resolvi ficar por aqui mesmo e comecei meu tratamento.
No começo foi bem complicado, pois minha glicada estava em 14%...
Aí já viu né? Além de não estar controlada ainda tive uma depressão por conta da doença, pois não aceitava muito bem... Mas tive que passar por isso como parte do processo de aceitação da doença.
Após uns dois anos de tratamento, tudo foi melhorando, os exames principalmente,foi onde me animei um pouco. Conheci meu atual marido, passou a ser um grande companheiro, costumo dizer que ele é meu médico particular, na época fazia academia, me cuidava muito mesmo, tudo trilhava muito bem. Em uma certa noite, achei que fosse morrer, meu marido me socorreu imediatamente, se não fosse por ele seria morrido, pois tive uma hipo noturna muito severa, acordei no hospital, fiquei uma semana muito mal.
Avaliando meu quadro, eu tomava uma quantidade excessiva de insulina, cheguei a questionar o médico , mas o mesmo não me dava nenhuma justificava, eu fazia acompanhamento no postinho do SUS na época,vivia inchada de tanta insulina, mas Deus é muito bom, na época uma cliente me apresentou uma super endócrino, tive que pagar particular mesmo, mais não me arrependo, aliás, pago até hoje com gosto, por que me decepcionei com o médico do SUS.
Conheci a Dra. Tereza, ela me ajudou muito, pude ser uma paciente ativa em meu tratamento....Mudei de vida!  Cheguei a comentar com a médica do Posto de Saúde sobre a Bomba de Insulina, mas esta sempre me desencorajou e a Dra. Tereza fez o contrário... Encorajou-me e depois de um ano de luta, consegui ganhar minha Bomba de Insulina na justiça.
Instalei a bomba, fiz novos exames, pra ver a glicada que estava em 9,%, quatro meses com a bomba a glicada foi para 7%.
Vi que com a qualidade de vida que teria meus sonhos se tornaram realidade, a tão sonhada MATERNIDADE aconteceria, e foi o que houve, com quase seis meses de bomba, engravidei,a glicada estava em 7,8% e terminei minha gestação com 6,5%. Foi uma benção! 
Tive alteração na tireoide por conta da gestação, tomei levotiroxina. Fiz acompanhamento com minha endócrino particular ,com a  enfermeira da Medtronic a Tainá (um anjo na minha vida) e com a equipe de G.O e endócrino do Hospital das Clínicas aqui de Ribeirão Preto, fui muito bem assistida.



Não tive nenhuma complicação no parto e nem na gestação, por precaução induzimos o parto normal, correu tudo... Graças a Deus!
A médica resolveu induzir o parto por conta da diabetes mesmo e por que assim que completei as 38 semanas já estava com um pouco de contração,
Dor senti pouca, pois assim que rompeu a bolsa, pedi que fizessem analgesia, aí foi só esperar dilatar o suficiente para o parto,durante o tempo que esperei a dilatação ficou uma enfermeira ao meu lado,me assistindo e medindo dilatação, assim que consegui dilatar o suficiente, já fui pra sala de parto para ter meu bebe, o incômodo mesmo é ter que fazer força junto com a contração, por que você  não sente nada de dor ,aí a enfermeira ficou ao meu lado me ajudando com as contrações até o bebê nascer.
Risco nenhum, já que estava com a glicemia controlada e o bebê estava bem.Durante o nascimento correu tudo bem,não dão mais o famoso pique,eles deixam a bolsa rasgar sozinha, aí tive que dar pontos em baixo,levei 4 pontos ,e foi tranquilo.
Meu bebê nasceu com hipoglicemia, pois fiquei 17 horas em trabalho de parto, ele nasceu com 49 centímetros com 3,390kg, ficou quatro dias no soro, até a glicemia estabilizar. Atualmente ele está ótimo, é um bebê super saudável e lindo, eu sou a mãe mais babona também rsrs
Fiz exames de rotina que toda gestante diabética tem que fazer, o diabetes super controlou na gestação, a bomba é também responsável por isso. Super recomendo!
Pedro Luiz nasceu de 38 semanas, seu nome foi escolhido antes mesmo de eu gestar, o amamentei até os três meses, daí meu leite secou.

Consegui perder peso muito rápido, quando engravidei pesava 61 kgs, hoje estou com 67kgs, faltam perder uns quilinhos que espero perder, para voltar a usar algumas roupas que agora não estão entrando rsrs.
Olha, é uma doideira ser mãe e ainda por cima diabética, nada fácil, mais também nada impossível, acredito que a vontade de ser mãe é mais forte que o cansaço físico, por que na verdade o cansaço mesmo é físico, mentalmente é só alegria. Se Deus quiser e tudo correr bem, quero que a família tenha pelo menos mais um membro.
O que posso dizer pra nossas amigas diabéticas é que acreditem, pra dar certo só depende de nós mesmos, não desistam da vida, pois ela pode te surpreender.

A maternidade é uma realização feminina e humana para quem a deseja, acreditem e façam sua parte, que tudo dará certo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário